Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


segunda-feira, 25 de abril de 2011

Casal Avoante ja esta em Natal

O casal Nelson e Lucia, do veleiro Avoante, ja retornou a Natal. Para não perder o costume ja chegou reunindo os amigos em um dos ja  tradicionais cafes das segundas feiras.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Massa gigante de escombros de tsunami japonês atingirá os EUA


Uma massa gigante de escombros flutuantes empurrada para o oceano pelo tsunami de 11 de março no Japão chegará ao Havaí dentro de um ano e à costa oeste dos Estados Unidos em 2014, segundo anteciparam nesta sexta-feira cientistas da Universidade do Havaí. Restos de casas, pneus, árvores e outros materiais levados pelo mar após o terremoto japonês demorarão três anos para atravessar o oceano Pacífico, de acordo com uma simulação feita pelo Centro Internacional de Investigação do Pacífico da universidade havaiana.
A maioria dos objetos que flutuam no litoral do Japão, como os carros e os edifícios quase inteiros, se desintegrarão progressivamente em pedaços menores, mas outros mais resistentes, como os navios, podem chegar intactos aos EUA. A primeira onda de escombros atingirá o litoral noroeste do Havaí no próximo ano, e deve chegar às demais ilhas em 2013, segundo a simulação feita pelos cientistas Nikolai Maximenko e Jan Hafner.
Um ano depois, os resíduos chegariam a praias desde Vancouver até a Baixa Califórnia (México), passando pelos Estados de Washington, Oregon e Califórnia, nos Estados Unidos. Grande parte dessas peças voltará a atingir a costa do Havaí dentro de cinco anos, em 2016, em uma segunda onda que será "mais forte e duradoura que a primeira".
A enorme quantidade de escombros acumulada no litoral do leste do Japão dificultou consideravelmente os trabalhos de resgate após o terremoto e o tsunami, que deixou 12.468 mortos e 15.091 desaparecidos, segundo o último levantamento oficial.
Fonte: Terra

Postado no Popa

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Dicas sobre barcos: Rio 20

Juca Andrade, proprietario do veleiro Cusco Baldoso, fala sobre seu veleiro Rio 20.

Boas!
Já postei  no blog informações técnicas sobre o Rio20. Mas não coloquei minha opinião de proprietário. Então, vamos lá!
No meu caso eu buscava um veleiro de oceano pequeno, robusto, fácil de manter ($$) e capaz de ser velejado por apenas uma pessoa. Algo como um Brisa (meu antigo barco, um Daysailer), porém mais robusto, capaz de enfrentar o mar sem receio de capotar e entrar em uma fria, mormente navegando em solitário.
Pois o Rio20, com seus 300 kg de lastro e armado como um grande monotipo satisfez todos esses requisitos.
Pontos fortes:
1) Boa relação custo benefício: pode-se conseguir um Rio20 em bom estado por cerca de R$ 20.000,00 (sem motor). Além disso, a maioria das marinas cobra a estadia com base no número de pés da embarcação. Nesse caso, o Rio 20 é mais atraente que um 23 pés, sendo que possui em linhas gerais o mesmo rendimento. Se o preço do pé for R$ 20,00, por exemplo, ao invés de R$ 460,00 por mês você irá pagar R$ 400,00. Em um ano isso representa R$ 720,00. Com esse valor é possível fazer a pintura anual do fundo, que todo barco guardado em vaga molhada necessita.
2) É um projeto do Cabinho, o que significa dizer que é seguro, marinheiro e na medida do possível para sua faixa de tamanho, bem resolvido internamente (tem vários guarda trecos, o que as mulheres adoram!);
3) A mestreação ao tope faz com que ele aguente muito pano em cima e aceite uma boa variação de tamanho de velas, o que permite um ótimo aprendizado para quem, no futuro, busca um barco maior.
4) O calado é baixo (1,05m), permitindo chegar bem perto das praias;
5) O leme é leve e responde rápido aos comandos. É um "monotipão"! As escotas são leves (dificilmente vocé usará uma das duas catracas) e as adriças sobem com facilidade. O enrolador de genoa facilta um bocado as coisas e pode ser do tipo sem foil (muito mais barato). No Cusco consigo fazer tudo de dentro da segurança do cockpit.
6) O tanque de água (70 litros) é bem razoável;
7) O sistema elétrico é bem resolvido e alguns LEDS iluminam toda a cabine;
8) O leme é interno;
9) O barco enfrenta bem as ondas e a velejada é "seca" (dificilmente você irá se molhar);
10) De olho na previsão e com certo planejamento é possível fazer pequenos cruzeiros de final de semana. Vai parecer que não, mas a melhor cama é a de casal, na proa!
Pontos negativos:
1) Cabine muito baixa (mas é um 20 pés, não dá para querer milagres!).
2) Projeto antigo, de popa fechada e proa curva;
3) Cockpit muito apertado e acanhado (é um 20 pés, lembra?!). Se velejar em 04 ou mais pessoas (a lotação é de 06 para passeio e 04 para pernoite) distribua o peso colocando gente na proa, nas laterais e no cockpit. Isso para manter o barco equilibrado e não afundar muito a popa, freando o veleiro. Eu não velejo com mais do que 04 pessoas, por questão de conforto;
3) A instalação de um banheiro rouba muito espaço. Se a dona patroa encarar, o melhor sistema é o balde mesmo!
4) Na orça ele aderna bastante. Não se assuste, ele não vai capotar!
5) Depois de um tempo você vai querer um barco maior. E, como muitos já me disseram, vai sentir saudades do valente Rio20.
É isso ai!!!

O Cusco na Ilha de Cedro - Paraty - Abril de 2010

Postado no blog do Cusco Baldoso

domingo, 10 de abril de 2011

O Avoante esta voltando pra casa!

Depois de uma temporada descobrindo novos lugares encantadores na Bahia, o casal Avoante, ja esta a caminho de casa, preparem-se todos para acabar com regimes e abstinencia alcoolica, muitos churrascos acontecerão.
Bem vindos ao lar!

Arroz à Imperador









A Páscoa está chegando, com toda a sua culinária típica.
Esta receita é especial, pois este arroz dá um toque muito interessante no prato, no visual e no sabor, diferente do arroz branco.




sexta-feira, 1 de abril de 2011

Cartas para GPS agora com tábuas de maré



As cartas náuticas do Club de Cartas Digitales - CCD Gold - agora podem vir com tábuas de marés. A notícia foi passada ao Grupo POPACOMBR pela velejadora Valéria Ormerod, representante do CCD no Brasil.
A novidade pode ser instalada nos chart plotters da Garmin modelos 276, 376, 378 e linhas 400 e 500. As Tábuas de Marés (veja exemplo ao lado) já vem na atualização das cartas, sendo necessário enviar o cartão de memória à representante para instalar pela primeira vez. As atualizações posteriores de cartas com a tábua serão feitas por e-mail, como de hábito.
Para mais informações sobre atualização de cartas, consulte Valéria: valeria.ormerod@terra.com.br