Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


sexta-feira, 21 de maio de 2010

Jessica Watson chega finalmente!

 .


Terminou. Jessica Watson, uma adolescente australiana de 16 anos, completou neste sábado sua volta ao mundo sozinha, sem escala nem assistência, a bordo do Ella’s Pink Lady, um Sparkman & Stephens de 34’ cor de rosa, após ficar quase sete meses no mar. Ufa!
Jess, que navega desde os oito anos de idade, tornou-se assim a pessoa mais jovem a circum-navegar o globo. Mas sua façanha não será reconhecida como um recorde. Dizem por aí que ela não velejou as 26 000 milhas necessárias (?!?) e é muito jovem para tirar o recorde de Jesse Martin (que tinha 18 anos quando completou sua viagem em 1 999). Além disso, o Sailing Speed Record Council, o órgão que homologa os recordes a vela, não reconhece mais a categoria “o mais jovem”, exatamente para desencorajar essa corrida desenfreada de velejadores cada vez mais jovens a tentar quebrar este recorde (lembra que em agosto, as autoridades holandesas retiraram a guarda de Laura Dekker, de apenas 13 anos, de seu pai, para impedir que ela iniciasse uma volta ao mundo solitária? Daqui a pouco vai chegar um ponto em que essas crianças sairão para o mar de fraldas).
Polêmicas à parte, uma verdadeira multidão se juntou no Opera House de Sydney para esperar a intrépida velejadora e sua chegada foi televisionada ao vivo. Além de Jesse Martin, o britânico Mike Perham, que fez uma volta ao mundo assistida aos 17 anos, fez parte da comissão de boas vindas. O primeiro-ministro Kevin Rudd, que teve que esperá-la por três horas, saudou-a como “a nova heroína nacional”, ao que a australianinha, no fim de sua fala, retrucou: “eu tenho que discordar do primeiro-ministro, eu não me considero um herói, sou apenas uma garota normal”. Just an ordinary girl. Muuuito normal!
postado no blog do Maracatu