Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


domingo, 31 de julho de 2011

Capitão de navio russo que não socorreu o “Bulgária” se defende

O capitão de um navio russo que enfrenta acusações criminais por ter omitido socorro ao navio “Bulgária” disse que razões técnicas, combinadas com o mau tempo, o impediram de aproximar-se a tempo da embarcação que afundava. O “Bulgária” soçobrou durante uma tempestade no rio Volga, na República do Tataristão, em 10 de julho, matando 122 pessoas. Socorridas pelo navio “Arabella”, 79 náufragos foram resgatados com vida.
Dois cargueiros, o “Dunaisky 66” e o “Arbat” teriam passado pelo “Bulgária” sem lhe prestar assistência. Seus capitães, Alexander Yegorov e Yury Tuchin, respectivamente, correm o risco de pegar até dois anos de prisão se forem julgados culpados de deliberadamente ignorarem um navio em dificuldades.
Numa carta ao jornal “Komsomolskaya Pravda”, Yegorov diz que sua tripulação preparava um bote para socorrer o “Bulgária” quando viu o “Arabella” se aproximar. Os capitães dos dois navios concordaram que o “Arabella” salvaria os passageiros, depois do que o “Dunaisky 66” seguiu caminho. Em sua mensagem ao jornal, o Comandante Yegorov afirma que ficaria triste se o público realmente acreditasse que ele poderia conscientemente abandonar pessoas em perigo. “Se não houvesse por perto um socorro eficiente como o ‘Arabella’, eu teria feito tudo ao meu alcance para ajudar aquelas pessoas em perigo.”
O capitão do “Arabella” tinha dito anteriormente que o “Dunaisky 66” teria levado pelo menos uma hora para chegar em socorro do “Bulgária”, enquanto seu próprio navio precisou apenas de 15 minutos para estar junto ao navio que naufragava.
Fonte: Diário da Rússia,postado no Popa

ABVC promove palestra para cruzeiristas dia 18 de agosto no Veleiros do Sul

 

Foto: ABVC/Divulgação

Ricardo Amatucci fala da viagem que gerou o livro "Uma família pela Costa Sul"

O cruzeirista e ex-presidente da Associação Brasileira de Velejadores de Cruzeiro (ABVC), Ricardo Amatucci, estará em Porto Alegre na quinta-feira, dia 18 de agosto, contando suas experiências e levando incentivo aos cruzeiristas gaúchos. A exemplo da palestra ocorrida no Iate Clube de Santa Catarina, o tema será a viagem de Ricardo Amatucci e sua família do Rio de Janeiro à Florianópolis, contada no livro “Uma família pela Costa Sul”. Nela, Amatucci conta como saiu do sofá e fez somente com sua esposa e filha pequena, seu primeiro cruzeiro mais longo num veleiro de 30 pés.
Segundo Maurício Napoleão, Presidente da ABVC, “esse tipo de palestra mostra como as famílias podem – e devem – sair dos respectivos “quintais de casa” e navegar pela costa do Brasil”. Segundo Napoleão, navegar em flotilha e com segurança é o segredo para o sucesso de uma empreitada como esta. E completa: “A missão da ABVC é levar os veleiros pela costa fazendo turismo náutico com segurança e ensinar a quem ainda não têm prática”.
Para Amatucci, o importante também é criar as condições aos poucos, fazendo de cada experiência um aprendizado. Na palestra ele conta, por exemplo, como aprendeu a importância da ancoragem correta e segura ainda nas primeiras navegadas: “Estávamos na Praia do Dentista (Angra) e o veleiro que alugamos simplesmente escapou da âncora e saiu navegando. Nós, da praia, ficamos olhando desesperados. A partir daí eu aprendi as técnicas corretas de ancoragem antes de me aventurar novamente”, explica.
Para colocar em prática toda essa aprendizagem a ABVC promove diversos eventos que vão de cursos e palestras, até cruzeiros em flotilha. Os menores como o Cruzeiro Costa Verde duram poucos dias e ficam por trechos pequenos da costa, ou ainda dentro das baías, enquanto os mais longos como o Cruzeiro Internacional da Costa Leste duram mais de 30 dias e percorrem mais de 300 milhas pela costa.
Você pode conhecer a ABVC e seus eventos e até tornar-se associado (mesmo sem ter veleiro) pelo site: www.abvc.com.br.
A palestra no Veleiros do Sul acontece dia 18 de agosto, às 20 horas.

Postado na Náutica

sábado, 30 de julho de 2011

Torben Grael vence Tour de France a La Voile com Bertrand Pacé

 

Foto: Jean Marie Liot / TFV

A equipe vencedora, com Torben a bordo, comemora o título

Pelo segundo ano consecutivo o francês Bertrand Pacé conquistou o Tour de France a la Voile, ou a Volta da França a Vela. Pacé e sua tripulação do Sud de France / Languedoc-Roussillon ganharam com a ajuda do tático brasileiro Torben Grael na última etapa da competição. O forte vento Mistral impediu os barcos de competir nas duas últimas regatas barla-sota, em Seyne-sur-Mer no domingo e a equipe comandada pela lenda francesa, que vai liderar o Team Aleph na próxima America´s Cup, nem precisou ir para água para garantir o título.
A 34ª edição da Volta da França a Vela terminou depois de um mês de mar. Mais de 30 regatas, em 12 etapas, que começaram em Dunkerque, na costa francesa do canal da Mancha, e terminaram na Côte D´Azur, no Mediterrâneo, reuniram 16 equipes na categoria principal. Os dezesseis barcos da classe de monotipos oceânicos M34, criada especialmente para o evento, são velozes, modernos, marinheiros e apenas no trecho entre Royan e Gruissan não navegaram. Neste caso, os barcos foram de caminhão do golfo de Biscaia até o Mediterrâneo pra dar continuidade ao tour.
Brigando com o Sud de France esteve sempre o Courrier Dunkerque que terminou em segundo na classificação geral. O terceiro foi o Bretagne Credit Mutuel Elite. O brasileiro Torben Grael se juntou a Pacé nas pernas mediterrâneas da competição No total foram disputadas 34 regatas, e das 13 em que Torben participou o barco esteve em 10 pódios e venceu 5 vezes. Nada mal para um estreante na competição. "Eu fui muito bem recebido pelo Bertrand e o resto da tripulação. O barco não era o mais veloz, mas experiência de todos contribuiu. No final, acabamos vencendo e garantindo o bicampeonato para o time. Foi uma grande experiência!", declarou o maior medalhista olímpico do desporto nacional e da Vela mundial.
A próxima competição de Torben Grael será a segunda etapa da Mitsubishi Sailing Cup em Búzios, RJ, de 11 a 14 de agosto.

Postado em Náutica

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Ta certo que filho de cruzeirista é safo desde pequeno,mas acho que esses pais exageraram

 

Pais de crianças achadas em veleiro respondem por abandono de incapaz. Casal foi levado para delegacia, mas foi liberado após pagar fiança.

À polícia, eles disseram que deixaram os filhos para se encontrar com amigos

.

Os pais das três crianças holandesas que foram encontradas sozinhas num veleiro na Baía de Guanabara, no Rio, na noite de terça-feira (26), vão responder por abandono de incapaz. O casal foi levado para a 14ª DP (Leblon), mas foi liberado após pagar fiança de R$ 1.000 e, por enquanto, não pode deixar a cidade. O cônsul da Holanda assinou um termo de responsabilidade para que as crianças pudessem ficar com os pais.

Segundo a polícia, a família estava viajando pelo mundo e chegou ao Brasil no sábado (23). Os pais contaram à polícia que jantaram com os filhos e os deixaram na embarcação que está ancorada na área do Iate Clube do Rio, na Urca, também Zona Sul. Depois, pegaram um bote e foram se encontrar com amigos, que estavam em outro barco ancorado na mesma região.

O resgate
As crianças foram encontradas por pescadores, na altura da enseada de Botafogo, na Zona Sul, que ouviram o choro dos menores, entre eles um bebê de 7 meses, e chamaram os bombeiros do Grupamento Marítimo de Botafogo. Elas estavam sozinhas no barco. O Corpo de Bombeiros usou duas lanchas para chegar ao local e retirar as crianças do mar.
"As crianças estavam gritando e chorando bastante. Elas estava fechadas dentro do veleiro", explicou o tenente Cássio Julian da Silveira, do Gmar. Ele disse ainda que os pais pareciam assustados com a situação.

Os bombeiros levaram as crianças para o prédio do Iate Clube do Rio. "Várias mães ajudaram, ficaram com as crianças dando atenção, colo, carinho", contou Aldevio Leão, diretor do Iate Clube.

Os pais só chegaram 40 minutos depois. Uma sócia do clube ajudou como intéprete e ficou surpresa com o comportamento do casal. "Ele falou que deixou os filhos dentro da cabine, com o rádio de barco e ele com outro rádio num outro lugar e que o filho iria se comunicar com ele", diz a estilista Maria Cristina Flynn.

Postado no G1 noticias

terça-feira, 26 de julho de 2011

Barco espanhol terá capitão brasileiro na Volvo Ocean Race o título da postagem

Foi anunciada ontem a participação do brasileiroJoca Signorini como capitão do barco espanhol Telefónica. O time agora está pronto para a megaregata Volvo Ocean Race, que larga em novembro de 2011, dando a volta ao mundo em nove meses. “Estou feliz por trazer a minha experiência olímpica e meus dois Volvo Ocean Races para a equipe. Gosto do meu trabalho e estou realmente ansioso para começar a regata”, disse em nota.
Joca estreou na Volvo em 2005, a bordo do veleiro Brasil 1. Na edição de 2009 integrou o barco Torben Grael/Ericsson 4, que venceu a regata. Ele também já velejou nas classes laser e finn e foi 10º colocado nas Olimpíadas de Atenas, em 2004.
Fonte: Webventure; Foto: Maria Muiña,postado no Popa

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Martine Grael e Isabel Swan são vice-campeãs na geral dos Jogos Mundiais Militares

No feminino, equipe da Marinha do Brasil foi a campeã da classe HPE 25

Martine Grael e Isabel Swan

Martine Grael e Isabel Swan

Martine Grael e Isabel Swan encerraram na última sexta-feira, dia 22, a participação nos Jogos Mundiais Militares com duas medalhas: uma de ouro e uma de prata. Ao lado de Juliana Mota, Fernanda e Renata Decnop, Isabel e Martine conquistaram a prata na categoria Open, em que competem tripulações masculinas, femininas e mistas. Entre as mulheres, a Equipe da Marinha do Brasil ficou com a medalha de ouro, com três regatas de antecipação na classe HPE25.

A competição, realizada na Escola Naval, teve um total de 12 regatas na classe HPE25 e a equipe brasileira venceu nove vezes no feminino e uma no geral. Essa foi a segunda participação de Martine e Isabel nos Jogos Mundiais Militares. Ano passado, foram campeãs pela classe J24.

A Ucrânia foi a campeã da categoria Open com 31 pontos, seguido do Brasil com 40 e França com 42.

Resultados:

Open

1º Ucrânia - OURO
2º Brasil - PRATA
3º França - BRONZE

Feminino HPE 25

1º Brasil - OURO
2º Polônia - PRATA
3º EUA – BRONZE

Postado no BomBarco

Refeno oferece Bolsa de Tripulantes a futuros velejadores

 

Até agora mais de 40 pessoas já se candidataram

A partida da Regata Internacional Recife / Fernando de Noronha acontecerá somente no dia 24 de setembro, mas muita gente já vem se mexendo para poder participar da tradicional competição de vela. E olhe que muitos não possuem nenhuma experiência em aventuras náuticas, mas querem garantir a participação justamente por causa do espírito aventureiro.

Para participar, basta se inscrever na Bolsa de Tripulantes, no site oficial da Refeno (www.refeno.com.br). Com isso, chefes de embarcações inscritas poderão convidar o sortudo para a travessia.

Até agora, mais de 40 pessoas já preencheram a ficha online. Nela, o candidato apresenta seus dotes, sejam eles culinários ou o bom contato com estrangeiros.

Refeno

A Regata Oceânica Internacional de Recife - Fernando de Noronha, a “Refeno”, uma das mais tradicionais provas do iatismo nacional será realizada no dia 24 de setembro, no Marco Zero, bairro do Recife, e vai reunir velejadores de todo o mundo.

Já estão confirmados até agora 52 veleiros de 11 estados brasileiros: Pernambuco (11), Paraíba (01), Alagoas (03), Bahia (14), Maranhão (01), Espírito Santo (01), Rio de Janeiro (09), São Paulo (07), Santa Catarina (01) e Rio Grande do Sul (01).

Velejadores de fora do Brasil também serão presenças garantidas na prova: Argentina, Estados Unidos e Espanha.
Postado no Bombarco

domingo, 24 de julho de 2011

Conheça o The Maltese Falcon, um barco fora de série

8

O The Maltese Falcon (O Falcão Maltês) um dos maiores e mais modernos iates a vela, foi vendido por 100 milhões de dólares.

O barco de 88 metros de comprimento e 3 decks, lançado ao mar em 2006 pelo estaleiro italiano Perini Navi, recebeu desde sua entrega, vários prêmios entre eles 4 da Showboats International, 3 da World Superyacht e 1 da Best Sail Yacht.

Veja mais fotos

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Parece conversa de pescador: Tubarão de 500 quilos salta para barco de biólogos

Equipe sul-africana realizava estudo da espécie de tubarões-brancos ao largo da ilha Seal quando animal se elevou do mar por cima dos investigadores e ficou preso no barco
Uma equipe de biólogos da África do Sul foi surpreendida na segunda-feira quando um tubarão-branco saltou para dentro do barco onde se encontravam e ficou preso durante uma hora.
De acordo com o «The Guardian», a surpresa do animal de cerca de três metros e meia tonelada aconteceu quando sete investigadores da Oceans Research estavam a realizar um estudo sobre a dinâmica populacional dos tubarões ao largo da ilha Seal, na África do Sul.
A investigadora e coordenadora do estudo,Dorien Schroder, explicou que desde as cerca das sete da manhã que eram lançados ao mar iscos para atrair os animais.
«Uma hora e meia depois de começarmos a lançar os iscos já tínhamos material sobre quatro tubarões que se aproximaram do Cheetah. Entretanto, a actividade em redor do barco diminuiu durante cinco minutos. De repente, ouvimos um grande barulho a sair da água e vimos um tubarão-branco gigante a elevar-se sobre os biólogos e a cair no barco», disse.
A responsável empurrou a equipa para o convés, enquanto o animal «desorientado e em pânico» destruía o equipamento que estava à sua volta, acabando por ficar preso.
«Para que o animal se mantivesse vivo durante o período em que esteve preso no barco, vários biólogos molharam-no e um barco veio em auxilio para puxar o tubarão para o mar com cordas, mas sem sucesso», disse a investigadora. 
Os dois barcos tiveram de se dirigir para um porto próximo, de onde conseguiram içar o tubarão com uma grua e em seguida devolvê-lo ao mar. 
A equipe referiu ainda que «quando se trabalha com animais desta dimensão há que ter preocupações para garantir a segurança dos biólogos e dos tubarões» e frisou que «foi uma nota positiva ninguém se ter ferido e o tubarão ter saído ileso».
Fonte: TVI24; Foto: Oceans Research, postado no Popa

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Temporada dos furacões no Pacífico já começou

A temporada de 2011 dos furacões no Pacífico já começou. Na semana passada o furacão Ma-on, situava-se a 270 milhas náuticas a SSE de Iwo To, no Japão.
O furacão Ma-on move-se em direção a Okinawa, a 11 nós, provocando rajadas de até 140 nós.
Fonte: MODIS/NASA
Imagem: NASA
Acompanhe a evolução

grib Japão

Navio de cruzeiro abandonado pode ser visto no Google Maps

Domingo, 30 de abril de 2000, não foi um dia bom para o World Discoverer, um navio de cruzeiro construído originalmente na Alemanha, em 1974. Às 16h, ele bateu em uma rocha que não estava no mapa das Ilhas Salomão, localizadas a nordeste da Austrália. O acidente não foi bonito de se ver; os resquícios dele, no entanto, agora são.
O cruzeiro ainda estáabandonado em uma das praias da baía de Roderick. Quando o navio bateu em uma rocha no oceano, o capitão Oliver Kruess fez com que os passageiros fossem resgatados de balsa. Depois, o navio começou a se inclinar em 20 graus. Kruess então o levou para a praia, para ele não afundar.
Quando o navio foi analisado por baixo, viram que não havia nada a fazer além de aposentar o World Discoverer. Ele ainda está lá, parado, para você admirar noGoogle Maps.
Vídeo com cenas do navio no YouTube

Fonte: Gizmodo Brasil, postado no Popa

domingo, 17 de julho de 2011

Natal como eu te amo

Pelos doze anos que estou nessa cidade linda e que me acolheu tão bem, coloquei este video com esta bela música homenageando a “Cidade do Sol” na voz de Margareth Menezes.

 

Descoberta histórica: Submarino U-513 é localizado em Santa Catarina

Materia copiada na integra do blog do João Paulo Lucena ,um blog que eu recomendo como muito legal.

U-Boat. Fonte: Lock the Welder

Durante a II Guerra Mundial estima-se que pelo menos 11 submarinos alemães tenham afundado em águas brasileiras, especialmente quando da grande ofensiva de 1943 feita por Hitler nas águas do Atlântico.

Também conhecidos como U-Boats, depois de 68 anos no fundo do mar o primeiro deles - o U-513 -também chamado de o "Lobo Solitário" foi finalmente localizado por uma equipe de pesquisadores do Instituto Kat Schürmann e da Universidade do Vale do Itajaí, nas proximidades de São Francisco do Sul (SC).

Sem dúvida trata-se de um evento histórico e o submarino encontrado, cujas coordenadas exatas ainda não foram reveladas, está a 75 metros de profundidade, o que significa que será um dos raros naufrágios desta natureza acessível a mergulhadores.

O U-513 era um submarino do tipo IX C, lançado em 1941 e e representava um dos maiores exemplos do grande avanço da tecnologia alemã de batalha.

O U-513 parte da sua base na França. Fonte: Revista Época

IX Simpósio de Segurança do Navegador Amador

 

 

O que é o Simpósio

No ano 2000, por iniciativa do então Vice-Almirante Euclides Duncan Janot de Matos, à época Diretor de Portos e Costas, foi realizado o I Simpósio de Segurança do Navegador Amador, com o objetivo de transmitir conhecimentos de segurança por meio de palestras e demonstrações, divulgar experiências e discutir as normas que regem a navegação de esporte e recreio - NORMAM 03/DPC, com o propósito de contribuir para o incremento da segurança da navegação a vela e a motor e para a salvaguarda da vida humana no mar e nas águas interiores, dirigido, principalmente, aos amadores, pescadores, mergulhadores, dirigentes de Clubes Náuticos e Marinas, fabricantes e representantes de equipamentos de navegação, segurança e salvatagem. O Simpósio revelou-se um sucesso, na medida em que, além de informar, proporcionou uma maior integração entre os navegadores e a Marinha do Brasil (Autoridade Marítima).

sábado, 16 de julho de 2011

Martine Grael e Isabel Swan defendem o Brasil nos Jogos Mundiais Militares

 

Isabel Swan fará o juramento dos atletas na cerimônia de abertura dos Jogos

Isabel Swan e Martine Grael

                                                                      Isabel Swan e Martine Grael

A partir do deste sábado, dia 16, a dupla Martine Grael e Isabel Swan defenderá o Brasil nos Jogos Mundiais Militares, que acontecem até o dia 24 de julho, no Rio de Janeiro. Martine e Isabel integram a equipe da Marinha do Brasil, na classe HPE 25, ao lado de Juliana Motta e das irmãs Renata e Fernanda Decnop.

A tripulação é a mesma que foi campeã invicta do Mundial Militar de Vela, no Bahrein, pequeno estado do Golfo Pérsico, em março do ano passado, na classe J - 24, além de ter conquistado a medalha de bronze na 38ª edição da Rolex Ilhabela Sailing Week, a principal competição de vela do País e que serviu como um grande treino preparatório para os Jogos.

A estreia da vela nos Jogos Militares será no dia 18 de julho, na Escola Naval, e a equipe brasileira vai com tudo para brigar pela medalha inédita para o País. Martine Grael e Isabel Swan também fazem campanha para as Olimpíadas de Londres 2012 na classe 470.

Embaixatriz do esporte brasileiro, depois de discursar em Copenhagen, na Dinamarca, na cerimônia de escolha do Rio como sede dos Jogos Olímpicos de 2016, Isabel Swan foi escolhida para fazer o juramento dos atletas na cerimônia de abertura dos Jogos Mundiais Militares, marcada para o sábado, dia 16, no Estádio do Engenhão.

Postado no Bombarco

470: Fernanda Oliveira e Ana Barbachan conquistam medalha de bronze no Europeu

Foto: Divulgação

                                                           Medalha de bronze para dupla brasileira.

Com a realização da Medal Race, com apenas os dez primeiros classificados de cada classe, terminou nesta sexta-feira, 15, mais uma edição do Open Europeans Helsinki 2011, o Campeonato Europeu de Vela. A dupla Fernanda Oliveira e Ana Barbachan, que representa o Brasil na classe 470 Feminina, encerrou no pódio a sua participação no evento, com a conquista do terceiro lugar.

Materia completa na Náutica

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Em um minuto, Yamaha dá dicas importantes de como lidar com o combustível parado

Como os alimentos que consumimos, a gasolina também tem prazo de validade. Você sabia que o ideal é nunca deixar o combustível parado mais do que 10 dias, mesmo no tanque de seu motor? No vídeo abaixo, a Yamaha dá essa e outras dicas para você não ter dor de cabeça com a deterioração do combustível ou com as reações que a gasolina parada podem provocar nas peças de seu motor.

Da redação da Nautica

Vela adaptada garante mais uma vaga inédita para o Brasil em Londres-2012

Um pais que investe tanto no futebol,pode dar uma olhada nos esportes adaptados que estão levando o nome do pais a um lugar na historia.

Foto: Divulgação

Foi a primeira vez que o Brasil correu nas três classes

A participação do Brasil no Mundial de Vela Adaptada, em Weymouth (Inglaterra), entrou para a história da modalidade. A competição classificatória para a Olimpíada de Londres, em 2012, reuniu os melhores velejadores com deficiência do mundo, entre os dias 30 de junho e 8 de julho, e foi palco da conquista inédita brasileira na classe Skud 18 (tetraplégicos). Dentre cinco vagas, a dupla verde e amarela garantiu a quarta e única para o País.
A disputa foi marcada por estreias. Há dois anos na vela adaptada, Elaine Cunha, 29 anos, foi a primeira mulher a integrar a seleção brasileira. Ao lado do timoneiro Bruno Neves, 25, a atleta velejou pela primeira vez no barco Skud 18 já em Weymouth, para a competição.
“Foi diferente, porque a gente treina num barco mais simples e numa represa que não tem correnteza e o vento é mais fraco. A conquista foi uma surpresa para todos nós, porque era minha estreia e nossa primeira experiência com o barco. Ele é excelente! Bruno e eu nos apaixonamos e estamos animados. O Skud 18 nos permitiu um desempenho melhor por ter uma aerodinâmica boa, mais potente, velas melhores”, enumerou, entusiasmada.
Elaine, que sofreu um acidente de carro há quatro anos, conheceu o esporte adaptado na AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente).
“Aprendi a nadar lá e depois me apresentaram ao remo adaptado. Fiz um ano e depois conheci minha fisioterapeuta, que também é classificadora funcional. Ela me falou sobre a vela e eu me interessei. Isso aconteceu há dois anos e não esperava que em tão pouco tempo eu estaria representando o Brasil numa competição tão grande e menos ainda que iria para uma Paraolimpíada. Foi tudo muito emocionante”, revelou Eliane.
Bruno começou a treinar na vela há dois anos e está bastante animado com a conquista.
“Agora vamos trabalhar para conseguir o mesmo barco para treinarmos com ele aqui no Brasil. O Mundial foi uma experiência maravilhosa e um desafio muito grande. Em um dos dias pegamos um vento de 26 nós. Alguns barcos nem saíram e nós conseguimos completar as duas regatas”, contou o velejador, que treina com a parceira na Represa de Guarapiranga (SP).
O Brasil também participou das disputas nas classes Sonar, com três atletas – Ricardo Messias, Rinaldo dos Santos e Antonio Castro – e na 2.4 mr com Mario Czaschke, além de seis pessoas no staff, entre técnicos, fisioterapeutas e acompanhantes.
“Foi a primeira vez que o Brasil correu nas três classes. Foi uma surpresa conseguirmos vaga na classe Skud 18, que começamos a trabalhar neste ano”, comentou a diretora-secretária da Confederação Brasileira de Vela, Nina Castro.

Da Náutica

Ponte é igualzinha a de Natal. Onde fica?

 

O casal Maracatu, Helio e Mara, estão desenbarcando do veleiro Fraternidade, onde passaram uma temporada com o comandante Belov. Vamos esperar por eles para saber onde fica essa ponte que parece muito com a de Natal,vista na segunda foto.

terça-feira, 12 de julho de 2011

Refeno 2011 larga dia 24 de setembro e já tem 52 veleiros confirmados

Foto: Divulgação

Água cristalina, praias paradisíacas e o mais deslumbrante arquipélago brasileiro. Este é o cenário da Regata Oceânica Internacional de Recife-Fernando de Noronha, a “Refeno”, uma das mais tradicionais provas do iatismo nacional. A partida da 23ª edição da regata será realizada no dia 24 de setembro, no Marco Zero, bairro do Recife, e vai reunir velejadores de todo o mundo.
Já estão confirmados até agora 52 veleiros de 11 estados brasileiros: Pernambuco (11), Paraíba (1), Alagoas (3), Bahia (14), Maranhão (1), Espírito Santo (1), Rio de Janeiro (9), São Paulo (7), Santa Catarina (1) e Rio Grande do Sul (1). Velejadores de fora do Brasil também serão presenças garantidas na prova: Argentina, Estados Unidos e Espanha.
Velejar com o mar, o clima e os ventos propícios à boa navegação e, ainda, poder apreciar a capital pernambucana e de um dos pontos mais belos do litoral brasileiro. Por motivos como esses é que a Regata Oceânica Internacional Recife – Fernando de Noronha – Refeno atrai, todos os anos, competidores de várias partes do mundo.
Criada há 23 anos, a competição é conhecida por ser disputada na região dos ventos alísios e sempre na mesma época do ano, entre o final de setembro e início de outubro. Essa característica possibilita a comparação dos resultados de um ano para outro, estabelecendo recordes. O atual recorde é do veleiro Adrenalina Pura – BA, comandado por Georg Ehrensperger, que em 2007 conquistou a marca de 14 horas, 34 minutos e 54 segundos para as 300 milhas de percurso, com média de velocidade acima de 20 nós!

Postado na Náutica

Sem recursos, veleiro doado à UFRPE está se deteriorando

Parado há cinco meses, o veleiro Liberty seria usado para pesquisas de estudantes do curso de Engenharia de Pesca
Um barco de pesquisas doado à Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) está atracado no Porto do Recife sem nenhuma manutenção. O veleiro Liberty foi apreendido pela Receita Federal e doado à universidade há cinco meses. Mas, desde então, está sem condições de navegar por falta de recursos.
Desde o fim da semana passada o Liberty está no armazém 15 do Porto do Recife. Não é a condição ideal, pois no fim do mês, a UFRPE vai precisar desembolsar em torno de R$ 1 mil por isso e a chegada de outros barcos faz com que ele não possa ficar todo o tempo parado ao lado do cais, como seria mais seguro.
A embarcação tem 27 anos e não navega há tempo.
O veleiro de 15 metros tinha sido apreendido por entrar irregularmente em águas brasileiras. Houve até uma solenidade para marcar a doação, onde participaram os coordenadores do curso de Engenharia de Pesca da Rural. Na ocasião, eles comemoraram o reforço para a formação de alunos e para pesquisas.
Só que desde então o Liberty estava no Cabanga Iate Clube, apesar da UFRPE não ser sócia de lá. Terminou tendo que sair porque havia fila de espera de associados. Do jeito que está hoje, o veleiro não tem condições de navegar.
Ele deve ser colocado num lugar seco, precisa de pintura, recuperação do motor, de cabos de aço, das velas. O serviço para deixá-lo pronto para ser lançado no mar outra vez deve consumir entre R$ 200 mil e R$ 300 mil.
O professor Paulo Travassos (foto 4) disse que a universidade está trabalhando para que o barco volte logo ao mar. “O principal problema é falta de recursos pela universidade. O barco foi doado em meados de fevereiro e, evidentemente, naquela ocasião a universidade não dispunha de recursos para fazer os serviços necessários.”
Ele explicou que pretende conseguir recursos junto ao Governo Federal para por o barco novamente em utilidade até o início do próximo ano. “Nós estamos elaborando um projeto para visitar o Ministério da Pesca principalmente, com o qual nós já temos alguns financiamentos para pesquisas, para tentar recuperar esse barco pelo menos até o final deste ano e no início do ano que vem já começar a usar o barco para pesquisas, para formação de alunos. Essa é a nossa idéia. Esperamos que em fevereiro do ano que vem nós estaremos fazendo a primeira saída para pesquisa de formação dos nossos alunos em aulas de navegação, de oceanografia, essa é nossa idéia e nossa meta”, destacou.
Fonte: pe360graus.com; Fotos: Globo , postado no Popa

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Velejador recebe descarga elétrica, cai em rio e some

Acidente aconteceu em Sales SP. 
O dentista Marcelo Risatto, 39 anos, desapareceu hoje, por volta das 13h, depois de levar uma descarga elétrica quando comandava um barco a vela no rio Cervinho, em Sales. Segundo informações da Polícia Militar, a vela da embarcação tocou a rede elétrica que cruza o rio e a vítima caiu na água depois de levar um choque. O acidente ocorreu perto da ponte que dá acesso às praias.
O supervisor comercial Oliver Sanighauser, 34, também foi atingido pela descarga elétrica, mas caiu dentro do barco. Ele foi encaminhado ao Hospital Padre Albino, em Catanduva, e estava consciente. A namorada de Risatto, a também dentista Francislaine Aparecida Dias de Souza, 33, saiu ilesa.
Risatto iria participar junto com um amigo e a namorada de uma expedição pela hidrovia Tietê-Paraná promovida pela Associação Brasileira de Velejadores de Cruzeiro, que teve início no dia 3, saindo de São Manoel, com previsão de chegada em Ilha Solteira no dia 17, depois de cerca de 500 quilômetros de navegação.
Hoje, eles haviam partido do loteamento Lago Azul, em Sales, pelo rio Cervinho, afluente do Tietê, e iam encontrar com amigos que já estavam na expedição em Adolfo, para concluir o percurso.
Vídeo com cenas do local
Fonte e foto: DiárioWeb,postado no Popa

domingo, 10 de julho de 2011

Novo navio do Greenpeace é referência em tecnologias verdes

O Rainbow Warrior 3 (ou Guerreiro do Arco-Íris 3) - o mais novo navio da ONG Greenpeace - foi apresentado na segunda-feira no porto de Bremen, Alemanha. Segundo Mike Townsley, porta-voz do grupo, ele é a aplicação prática dos valores do Greenpeace. Com custo estimado de US$ 23 milhões (R$ 52 milhões), o navio é ecologicamente correto e mostra que é possível usar tecnologias verdes na construção naval. Uwe Lampe, chefe de design do navio, conta que foram respeitadas normas ambientais e de segurança. Não foram utilizados, por exemplo, aço chinês nem compensados de madeira de desmatamento da Rússia.
Fonte: O Estadão,postado no Popa

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Nova Zelândia cancela alerta de tsunami após terremoto

A Defesa Civil neozelandesa cancelou o alerta de tsunami que se seguiu ao forte tremor de 7,6 graus na escala Richter registrado nesta quarta-feira (6) - quinta-feira no horário local. O tremor, próximo ao arquipélago de Kermadec, chegou a provocar ondas de até um metro na região, segundo o Centro de Alertas de Tsunami do Pacífico, um órgão americano. Ou seja, tecnicamente, houve um tsunami (ondas causadas por um terremoto), mas ele não deve provocar danos.

O site local Stuff.co.nz, informou que o tsunami vai agitar o mar na região, mas sem gerar destruição em terra. O jornal New Zealand Herald, no entanto, afirma que as autoridades mantêm o alerta para que as pessoas fiquem longe da praia nas cidades costeiras do leste do país.

De acordo com o USGS (Serviço Geológico dos Estados Unidos), o terremoto aconteceu às 7h03 da manhã de quinta-feira (16h03 desta quarta-feira em Brasília). E teve seu epicentro em uma área oceânica a 163 km das ilhas Kermadec, a 913 km de Tonga e a 1.185 km de Auckland, uma das principais cidades neozelandesas.

Segundo o USGS, o tremor ocorreu a uma profundidade de 20 km. Não há informações sobre vítimas.

O controlador da Defesa Civil David Coetzee afirmou ao New Zealand Herald que deve haver "correntes turbulentas" na região, o que representa uma ameaça aos barcos que navegam por ali.

Fonte R7

terça-feira, 5 de julho de 2011

Viagem transoceânica da fragata “Palas Athena”

 

A fragata de três mastros “Palas Athena” foi construída de acordo com o estilo de veleiros clássicos do princípio do século XX. O navio tem 26 velas e dois motores Diesel para navegar nas condições de intempérie ou em portos. O veleiro foi lançado à água em 1989 e foi baizado em homenagem a um navio lendário do século XIX. O escritor Ivan Goncharov, que serviu neste navio na qualidade de intérprete, descreveu as suas peregrinações por três oceanos no livro “A Fragata 'Palas Athena'”.
A atual fragata consta no livro de recordes do Guinness como o veleiro mais rápido da sua classe. "Este navio
admiravelmente bonito já esteve em 19 portos do mundo e várias vezes atravessou o equador", revela Aleksandr Saveliev, dirigente do Centro de Relações Sociais da Agência Russa de Pesca.
Os estabelecimentos de ensino da Agência Russa de Pesca dispõem de três veleiros lendários – as barcas “Sedov” e
“Kruzenschtern” e a fragata “Palas Athena”. Todos eles estão em perfeito estado. Todos os anos dezenas de alunos dos nossos estabelecimentos de ensino fazem longas viagens de estágio naval nestes barcos. Agora começa a expedição lendária da fragata “Palas Athena”. Ela irá rumo ao litoral da América, o que permitirá aos nossos alunos fazer estágio naval, aperfeiçoar a sua habilidade e o profissionalismo. Além disso, os veleiros desempenham uma missão útil exibindo nos mares e oceanos a bandeira da Federação Russa. Nos portos de visita numerosos turistas embarcam para conhecer o veleiro.
A fragata “Palas Athena” vai fazer a primeira escala no porto norte-americano de Kodiak, que foi fundado em fins do
século XVIII por colonos russos. A fragata estará aberta para excursões. Os hóspedes poderão tomar conhecimento da exposição temática a bordo do navio.
Seu trajeto irá contornar o litoral da América do Norte, visitando territórios descobertos por marinheiros e desbravadores russos em meados do século XVII. Trata-se da península de Alasca e das ilhas Aleutas. A seguir o “Palas Athena” vai visitar vários portos dos EUA, do Canadá e do Japão. A extensão do trajeto do veleiro no Pacifico será de aproximadamente 13 000 milhas. A 16 de outubro a fragata retornará ao porto de Vladivostok.
Fonte: Voz da Rússia, postado no Popa

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Aurora Canessa chegou a Cascais

205130_1927293190384_1483823436_2208581_7028890_n

Nesse domingo 03 de julho, as  17 horas da Argentina,21 de Cascais, Aurora Canessa realizou o sonho de cruzar o Atlântico em solitária.

Leia a chegada dela nas suas proprias palavras:

“3 de julio de 2011 - 17 horas de Argentina - ¡ SUEÑO CUMPLIDO !

A las 17 horas de Argentina, - 21hs de Cascais - Pisé Tierra Continental Europea. Con esto cumplí mi sueño de cruzar el Océano Atlántico en Solitario de Oeste a Este.

Me estaba esperando el comodoro del club, que me invitó a cenar y Luis Serpa, a quién conocí en Martinica.

Me llamaron varios para saludarme, entre ellos mi querida sobrina Marianita. Les agradezco mucho a todos.

Me di un baño espectacular y me preparo para compartir la cena.

Estoy realmente MUUUUY  FELIZ - Mañana por la mañana les cuento los detalles.

Besos enormes - Gracias

Aurora Canessa”

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Barco turístico volta a abandonar mergulhador no mar na Austrália

 

Um norte-americano ficou à deriva, em após um mergulho, depois de ter sido esquecido pela tripulação de um barco turístico ao largo da costa da Austrália. Ao contrário do que aconteceu com um casal nos anos 90, Ian Cole (foto) sobreviveu ao susto.
O caso aconteceu no sábado, na Grande Barreira de Corais australiana. Ian, um turista norte-americano de 28 anos, explorava o cenário subaquático quando, subindo à superfície, percebeu que o barco que trouxera um grupo de mergulhadores até àqueles recifes tinha partido. Ian fora esquecido.
«Entrei em pânico. O coração disparou. Não sabia o que é que iria acontecer», contou ao Sydney Morning Herald. Ian diz ter feito «um esforço enorme» para permanecer calmo. Não terá sido tarefa fácil. À memória veio inevitavelmente o caso de Tom e Eileen Lonergan (foto mais abaixo), também norte-americanos, que desapareceram naqueles mares em 1998 quando um barco de recreio deixou o casal para trás. As autoridades australianas acreditam que os Lonergan, recém-casados, foram devorados por tubarões. A tragédia inspirou o filme de terror Águas Profundas.
Desde a tragédia, os operadores turísticos australianos formularam regras de segurança muito rígidas para evitar erros de contagem e esquecimentos como o que terá estado na origem da morte trágica dos Lonergan.Tal não foi suficiente para evitar o desaparecimento, durante 19 horas, em 2008, de um casal anglo-americano que acabou por ser salvo por helicóptero. Nem evitou um susto para Ian. Passados 15 minutos da partida do barco, o jovem norte-americano avistou outra embarcação e nadou outros 15 minutos até conseguir pedir auxílio. «Quando cheguei lá eles olharam para baixo e perguntaram ‘Que raio estás a fazer sozinho?’», conta o turista.
Segundo o Sydney Morning Herald, a tripulação do barco que levou Ian até aos recifes de coral foi despedida. O norte-americano recebeu um voucher de 200 dólares para utilizar nos restaurantes da região e foi reembolsado no valor da excursão.Mas a história pode não ter terminado. Um dirigente da associação regional de operadores turísticos, Col McKenzie, acusa Ian de «fazer uma tempestade num copo de água» e de «querer aparecer». «É tudo uma grande m***. Ele nunca esteve em perigo. Foi como se ele tivesse sido esquecido na praia», declarou McKenzie a um jornal de Cairns. A disputa verbal poderá seguir agora para tribunal.
Fonte: SOL/Portugal; Fotos: The Age/Australia, postado no Popa