Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Trimarã naufraga próximo a ilha de Fernando de Noronha

Materia pirateada sem dó do Diario do Avoante

Três anos atrás o trimarã paraibano Acauã, voltando da ilha de Fernando de Noronha/PE, capotou a pouco mais de 40 milhas da costa da Paraíba, quando retornava de sua participação na Refeno. Os tripulantes foram resgatados pelo Rebocador de Alto Mar Triunfo da Marinha do Brasil sem maiores gravidades e graças ao localizador SPOT. Esse ano de 2012 mais um trimarã, L’Insolent, que havia participado da XXIV Refeno acidentou-se e naufragou a 48 milhas náuticas de Fernando de Noronha e seus tripulantes foram salvos e regatados no mar com a ajuda do sinal do SPOT. Hoje, 26/10, a Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte lançou uma nota comentando o acidente. A informação nos foi repassada pelo Diretor de Vela do Iate Clube do Natal, Ricardo Barbosa.

01) Em 251100P o SALVAMAR NORDESTE recebeu um telefonema do Sr. José Alves Pereira,
proprietário da embarcação tipo trimarã “L’Insolent”, de bandeira Belga, que se encontrava na
posição LAT. 04º 34’ 36”S  LONG. 032º 11’54” W, cerca de 48 MN a SE do AFN, com avaria nos
flutuadores de bombordo e principal e com dois tripulantes a bordo, o Sr. José Alves e o Sr. Miguel
Nicolau, ambos de nacionalidade Portuguesa.
02) A embarcação Ilha Fernando de Noronha, que suspendeu em 251200P do AFN, para apoio e
possível reboque do trimarã para o porto do Natal-RN.
03) Em 252050P a embarcação Ilha de Fernando de Noronha encontrou o trimarã na posição
LAT: 04º  31’  55”S / LONG: 032º  27  61”W. Devido à avaria, o casco da embarcação foi abandonado,
ficando à deriva na mesma posição e com tendência ao afundamento;
04) Os dois tripulantes estão abordo da embarcação Ilha Fernando de Noronha em perfeito estado de saúde.
Atenciosamente,

José Inácio Pereira
CT(RM1-T)
Encarregado da Divisão de Segurança do Tráfego Aquaviário da CPRN
(84) 3201-9630 / Retelma – 8350-1901 Ramal 220/Telefax (84)3201-9626

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

A natureza é absoluta. É Deus. E o mar é sua maior imagem.

Reflexão de Helio Setti Jr. no final de seu livro Aventuras no Mar

mar_do_norte_gr

“Depois de tudo que vivi e aprendi no mar, naquele momento senti o quanto eu sabia pouco sobre os segredos, os humores, os mistérios do mar. O mar, das coisas que podemos tocar, é a mais infinita. Pra mim ele é realmente infinito, imponderável. Quem um dia já esteve flutuando distante a 1.000, 2.000 milhas de terra, há de concordar comigo que ele é infinito. Não existe medida para medi-lo, não existe vista que ultrapasse seu horizonte, não há ser humano que mergulhe até seu fundo ou que consiga nadar um oceano inteiro. O mar é a maior expressão da natureza, e é ela a essência, a alma, a razão de ser do mundo em que vivemos.

O conhecimento adquirido ao longo dos anos me mostrou essa grandiosidade, essa imponderabilidade. Do muito que aprendi do mar, descobri que quase nada sei sobre ele. A consciência do saber traz a certeza do desconhecimento. Nisso esta talvez a maior beleza do mar. Se eu vivesse 200 anos a estudá-lo, a tentar entende-lo, talvez mal arranhasse todo o saber que poderia tirar dele. Se passasse a vida navegando sem parar, ainda assim não percorreria todas as milhas que o mar oferece, nem chegaria a conhecer todos os recantos, ilhas, baías, praias, recifes que existem pelo mundo, e provavelmente tambem não conheceria todas as suas faces,suas infinitas combinações de corrente,vento e humor.

Ciente desse meu desconhecimento da essência do mar, sou feliz, pois se não a domino, pelo menos tenho conciência dela.”

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Avião de passageiros é desviado para localizar barco no Pacífico

Um avião de passageiros que viajava entre o Canadá e a Austrália ajudou a localizar um veleiro à deriva no Oceano Pacífico com a ajuda de binóculos emprestados por um passageiro.
O Boeing 777 da Air Canada, que saiu de Vancouver com destino a Sydney, fez um desvio de 400 km de sua rota original a pedido da Autoridade de Segurança Marítima Australiana (AMSA, na sigla em inglês) após um farol de emergência ser avistado no Mar da Tasmânia, entre a Austrália e a Nova Zelândia.
Os pilotos também reduziram a altitude da aeronave a 1,8 mil m para ajudar na localização visual do barco. A altitude de cruzeiro de um voo de longa distância é de 11 mil m. O barco, com um único ocupante, foi encontrado cerca de 500 quilômetros a leste de Sydney.
O navegador havia deixado a área de Sydney havia duas semanas e estava à deriva por cerca de uma semana após perder seu mastro e ficar sem combustível.
Resgate
Segundo a AMSA, o aviso luminoso de emergência do barco foi avistado por volta das 8h15 de terça-feira (18h15 de segunda-feira em Brasília). O voo com 270 passageiros e 18 tripulantes a bordo, que já durava 12 horas e estava próximo ao seu destino, foi então desviado em busca do barco.
Segundo um porta-voz da Air Canada, a aeronave pousou com 90 minutos de atraso em Sydney. "Estamos realmente satisfeitos de poder ter ajudado", afirmou o porta-voz Peter Fitzpatrick ao jornal canadense The Globe and Mail.
Posteriormente, um avião da Air New Zealand que viajava entre Auckland e Sydney também foi desviado, antes da chegada de uma aeronave de resgate australiana que lançou um bote salva-vidas e um telefone por satélite para o navegador à deriva. Um navio mercante também protegeu o barco dos fortes ventos até a chegada de uma embarcação de resgate.
Localização remota
Um porta-voz da AMSA afirmou à rede Australian Broadcasting Corporation (ABC) que a ajuda dos aviões de passageiros foi necessária por causa da localização remota do veleiro.
"A localização do sinal de emergência estava dentro da rota de voo, então precisávamos avaliar a situação, e o Boeing 777 era o mais próximo do local", afirmou o porta-voz Jo Meehan. Segundo as autoridades, o navegador foi resgatado com segurança e passa bem.

Postado no Popa

AIS TRANSPONDER - Requisitos necessários para adquirir e instalar no veleiro

Essa dica eu peguei no blog To indo velejar, e resolvi repassar para os meus leitores pois achei muito util para quem pretende ter um AIS em seu barco.

a) no site da Anatel, ver os aparelhos homologados e escolhe. Ex: Raymarine AIS 650 (US990.00)
Como acessar Anatel: sistemas interativos > SGCH > consultar > homologados / consultar
Importante: nesta lista o único que recomendo para veleiro é o Raymarine 650. O Comar é interessante mas está com homologação suspensa.
b) após escolha do modelo solicitar da loja West Marine a proposta de venda.
c) com esta proposta constando informações do aparelho, vá até a Anatel solicitar seu  MMSI, preencha os formulários e pague as taxas.
d) de posse do MMSI, repasse para a loja, que enviará seus dados para o fornecedor cadastrar o aparelho em seu nome e de sua embarcação, e a pessoa para contato em caso de emergência.
e) beleza! Aparelho chegou, ansiedade para instalar, vão algumas dicas:

  • se possível instale uma outra antena VHF, na segunda cruzeta ou topo do mastro. (Eu não gosto do SPLIT - divisor de sinal vhf/ais,  porque às vezes dá conflito). Além do más, uma outra antena e cabo são mais baratos. Quanto mais alto melhor, lembre-se que o alcance é 2x  a raiz quadrada da altura.
  • na saída nmea do transponder eu coloquei um adaptador SERIAL/USB, comprado em qualquer loja de informática por R$ 50,00, e vejo os navios no laptop. Você escolhe o programa SEACLEAR ou SHIPPLOTTER e usa as cartas digitalizadas da DHN.
  • você também pode ver os navios direto no seu plotter - a depender do modelo do mesmo.
  • para auxiliar o AIS no posicionamento, tenha um GPS bem simples ligado na entrada nmea do AIS. (No meu barco o gps fica só para o AIS, que é um Garmin III plus. Ficam ligados 24 hs (consumo menor que 30mA).
f) mas se você não quer gastar muito, compre só o receptor ( +/- R$450,00), que já lhe dá uma boa SEGURANÇA, e não precisa de MMSI. Compra-se direto em qualquer loja. Eu tenho o SR 161 da Miltechmarine, funcionando bem há mais de 5 anos.
g) se escolher o seaclear para usar com o AIS, a configuração está no meu blog. É importante saber qual a porta que o Windows selecionou na instalação do adaptador serial/usb. A velocidade que coloquei foi de 9600 bps. Todos estes dados são para “propriedades” no Seaclear.
Ações > propriedades > comm > bps 9600
Em caso de dúvida podem perguntar.
Postado em toindovelejar.blogspot.com por Gerson da Silva

domingo, 14 de outubro de 2012

Projeto de embarcação que fura ondas ganha prêmio "navio do ano"

O projeto Far Solitaire de construção de uma inovadora embarcação que fura ondas ganhou o prêmio "Navio do Ano" da revista de navegação norueguesa Skipsrevyen. O projeto é comandado pela Rolls-Royce.
O modelo do navio é o UT 754 WP, destinado ao transporte de produtos químicos e resíduos para plataformas offshore de petróleo.
O Far Solitaire será entregue ao cliente, Farstad Shipping, em outubro para operar no Mar do Norte. “Estamos muito felizes em receber esse prêmio e ansiosos para ver o Far Solitaire entrar em operação pela Farstad nas próximas semanas”, exaltou Tony Wood, presidente da divisão de Marine da Rolls-Royce.

Postado no Popa

terça-feira, 9 de outubro de 2012

João Maria de Lima “SKIPPER”

O amigo Joca é desses apaixonados por veleiros.

É um cara que trabalha no meio deles; fazendo consertos, reformas e instalação de equipamentos.Nos verões europeus vai para a Dinamarca, onde tem um veleiro, para trabalhar em uma fabrica de pilotos de vento.

Joca sempre teve o desejo de ser skiper e esse ano ele o esta realizando, depois de levar seu veleiro da Dinamarca para a Alemanha para coloca-lo a venda, voltou ao Brasil para trazer o veleiro Namoa de Angra dos Reis para Recife, onde vai correr a REFENO 2012 (Regata Recife / Noronha).

Aproveitando de seu conhecimento mais dois barcos o contrataram para traze-los para o Cabanga, o Scambau e o Uranus.

Joca em alguns trechos da viagem teve a companhia de seu filho Eric, que ja é velejador de optimist,  alem de acompanhar o pai, Eric vai aprendendo e curtindo a vida a bordo.

Para contato com o Joca:

fone- (84) 9414-1172

skype- joaomarialima

e-mail- joaomaria.delima.18@facebook.com

domingo, 7 de outubro de 2012

Avoante a caminho de Recife, uma jornada dificil.

Nessa semana o Avoante e sua tripulação tiveram uma dura jornada de Natal a Recife ,onde irão participar da REFENO 2012.Sairam de Natal no dia 02 /10 as 19h e chegaram em Recife dia 06/10 por volta de 23h. Vamos ficar aguardando pela historia toda, que será certamente bem contada pelo Nelson, que faz isso muito bem. Enquanto isso, para quem não acompanhou pelo Spot do Avoante,vou colocar uma imagem do que foi a viagem.

Sem título

terça-feira, 2 de outubro de 2012

História de como surgiu a REFENO

 

Navegar entre o Recife e Fernando de Noronha sempre foi o sonho de muitos velejadores. A primeira travessia, ainda amadora, aconteceu em 1984, realizada pelo barco Odisseus, que contou com cinco tripulantes. Hoje o veleiro se encontra no Museu do Tubarão, em Fernando de Noronha.

Em 1985, um dos tripulantes do Odisseus, o velejador Maurício Castro, resolveu promover com alguns amigos, um cruzeiro com destino à ilha. Seis barcos fizeram a travessia, que ganhou o nome de Cruzfafeno - Cruzeiro em Flotilha ao Arquipélago de Fernando de Noronha.

Com o sucesso da Cruzfafeno, um ano depois foi realizada a primeira REFENO - Regata Internacional Recife - Fernando de Noronha. A competição contou com a participação de 20 veleiros de várias partes do mundo. O principal objetivo dos organizadores foi promover uma regata ecológica, na qual os velejadores tivessem que cumprir também regras para preservar o meio-ambiente. E deu certo. Desde que foi criada, a REFENO ganha mais e mais adeptos apaixonados, que acabam voltando no ano seguinte para matar a saudade.

Fonte: site da Refeno

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Noticias dos amigos que andam velejando por aí.

Depois de duas viagens recentes fazendo delivery com o veleiro Tranquilidade, de São Luiz do Maranhão a Natal e de Natal a Salvador,O casal Avoante Nelson e Lucia, estão de volta a Natal ja com tudo pronto para na primeira janela de vento, que diga-se de passagem não ta dando mole, partirem para Recife, agora sim abordo do seu Avoante para participarem mais uma vez da regata Recife-Noronha (Refeno). Contatos para delivery  ou para curso de vela de cruzeiro, podem ser feitos pelo  Diario do Avoante.

Os Zanellas,Jose Zanellão e Dudu Zanellinha, estão pela America Central com o Guga Buy,depois de passarem por Curaçao, Aruba e Santa Marta na Colombia.

O Maruja com o casal Hugo e Catarina, anda pelas bandas do Cabo Verde.

O pessoal do Travessura a muito ja voltou pra casa e agora estão fazendo charter pela região de Ilha Bela. Quem quiser ter a experiencia de viver a bordo pode fazer contato com eles pelo facebook http://www.facebook.com/tresnomundo?ref=ts&fref=ts

Fernando e Paula do Andante depois de um tour pelas estradas da Europa, estão de volta a Lisboa para reencontrar seu veleiro, que descansou bastante da longa travessia, em uma marina portuguesa.

Essas são palavras da propria Paula

De volta à Lisboa! Depois de 86 dias, encontro emocionado com o Veleiro Andante! Passamos por 13 países e 1 Principado, envolvendo 34 cidades e "inúmeros bares" rsrsrsrs...
em 13.611 Km percorridos, experiência fantástica, muitas histórias... Mas nada como retornar ao lar, sãos, salvos e felizes por termos cumprido mais uma etapa da nossa viagem.

Fabio e Miriam ex Flyer e agora Lady Blue, acabam de chegar a Sicilia, na marina de Ragusa e depois de uma travessia com um vento na cara de tirar o sossego,  nada como um bom descanso nas palavras do Fabio.

Ontem passei o dia deitado na rede armada na popa do LADY BLUE desenvolvendo uma atividade que há muito não tinha tempo para fazer. FISCAL DE MARÉ !!! Depois de uma jornada cansativa incluindo horas extras para ver se o SOL se levantava e se o SOL se punha nas horas corretas tirei o meu merecido descanso e fomos tomar um gelatto na piazza de Ragusa, afinal ninguém é de ferro.

Assim enquanto vou conseguindo informações vou atualizando por onde esse povo anda.