Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Veleiro “Cisne Branco” no porto de Natal

Natal esta tendo um otima oportunidade de conhecer mais da nossa Marinha, ontem tivemos a chegada do submarino Tikuna  e hoje a chegada do lindo navio-veleiro Cisne Branco.

O Navio-Veleiro “Cisne Branco” atracou no Porto de Natal hoje às 10h, e estará aberto à visitação pública até dia 20 de agosto, nos horários entre 14h e 18h. A entrada é gratuita. A sua missão é representar o Brasil em eventos náuticos nacionais e internacionais, divulgar a mentalidade marítima na sociedade civil e preservar as tradições navais.
O “Cisne Branco” é um veleiro de grande porte, construído em Amsterdã, Holanda, pelo Estaleiro Damen. Teve sua quilha batida em 9 de novembro de 1998, tendo sido lançado ao mar e batizado em 4 de agosto de 1999, entregue à Marinha do Brasil em 4 de fevereiro de 2.000 e incorporado à Armada em 9 de março do mesmo ano.
Realizou sua viagem inaugural, na travessia comemorativa dos “500 anos de Descobrimento do Brasil”, cruzando o Atlântico da mesma forma que o fez Pedro Álvares Cabral, no ano de 1.500. O projeto do “Cisne Branco” inspira-se nos desenhos dos últimos

“Clippers” construídos no final do século XIX.
A construção do navio ocorreu em tempo recorde – um ano e três meses – e teve, como principal propósito, permitir ao Brasil participar com um navio de propulsão à vela da histórica travessia comemorativa dos 500 anos do seu descobrimento.
Características do navio
Tripulação: 60 militares
Comprimento Total: 76,0 m / 249 pés
Boca (largura): 10,5 m / 34,5 pés
Calado: 4,8 m / 15,7 pés
Altura do Mastro Grande: 46,4 m / 152,2 pés
Deslocamento: 1.038 ton
Armação: Galera
Área Vélica (máxima): 2.195 m2
Velas redondas: 15
Velas latinas: 10
Velas auxiliares: 6
Vela de mau tempo: 1
Velocidade máxima à vela: 17,5 nós (32 km/h)
Propulsão Auxiliar: 1 Motor Diesel 1001 hp
Velocidade máxima a motor: 11 nós (20 km/h)
SERVIÇO:
Visita ao Cisne Branco: Sexta, domingo e segunda.
Horário: 14h às 18h
Entrada gratuita
Fonte:
http://canindesoares.com/veleiro-cisne-branco-no-porto-de-natal

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Funções a bordo de um veleiro de regata

Para você entender melhor o que se passa em uma regata,saiba quais são as funções a bordo e o que cada velejador faz durante uma prova. 


Proeiro trabalha no Piratas do Caribe

Proeiro trabalha no Piratas do Caribe
Foto: Oskar Kihlborg/ VOR

Veja as funções a bordo

  • Timoneiro – É quem guia o barco. Fica na roda de leme, o timão, e dita tanto a direção em que o barco vai como avisa quando as manobras serão realizadas.
  • Tático – Diz ao time o que fazer durante a regata, para onde ir e quando fazer as manobras. Principalmente em uma prova curta, como a in port race e um match race. O tático fica sempre atento às mudanças de vento e na direção que o veleiro está indo, assim como em seus adversários.
  • Navegador - O Navegador passa grande parte do tempo na sala de navegação, recebendo boletins meteorológicos e auxiliando o comandante nas decisões de rota. Quando está no convés, ele ajuda quem estiver precisando, pode exercer várias funções.
  • Trimmer - É o que faz a regulagem das velas. Trimmer vem do inglês e se refere à catraca usada pelo velejador para regular as velas. Geralmente uma pessoa cuida da regulagem da vela grande – a principal do veleiro – e outro fica com o balão e a genoa – velas de proa. A regulagem das velas, apertar ou folgar, é feita para ter o melhor aproveitamento do vento em relação ao ângulo da velejada.
  • Proeiro - O proeiro cuida da preparação das velas no momento da troca. É o que mais trabalha. Um bom proeiro é metade do bom desempenho de uma tripulação. Se ele falhar em algum momento e a vela não abrir na hora certa, o barco perde várias posições em uma regata curta.
  • Secretaria - Responsável por liberar ou prender os cabos, adriças e escotas em uma manobra ou troca de vela. Trabalha sempre na entrada da cabine, onde ficam os Stopers, peças que funcionam como freios para os cabos.
  • Comandante - Na verdade, o comando do barco não é uma função, e sim um posto. É ele quem tem a última palavra no veleiro, e é o responsável pela tripulação. A palavra do comandante é tida como ordem a bordo. Geralmente ele ocupa a função de timoneiro ou tático e é sempre auxiliado pelo navegador nas decisões.

    Por Daniel Costa no webventure

  • Submarino vindo dos EUA atracará no Porto de Natal nesta quarta

    O Submarino "Tikuna", pertencente à da Marinha do Brasil, atracará no porto de Natal nesta quarta-feira (15), às 10h, onde deve permanecer até 20 de agosto.O Tikuna está vindo dos Estados Unidos, onde participou da "Deployment-SUB 2012", exercício em conjunto com a Marinha dos EUA; e seguirá para Salvador e posteriormente para Rio de Janeiro, aonde chegará em 5 de setembro. Seu objetivo na capital potiguar é para reabastecimento e manutenção de equipamentos.
    O Submarino Tikuna (S-34) foi construído no estaleiro Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, e foi lançado ao mar e incorporado à Armada no início do século XXI. Apesar da grande semelhança na aparência externa com os da classe Tupi, o S-34 apresenta consideráveis diferenças. O navio possui diversas novidades tecnológicas, notadas na geração de energia, no sistema de direção de tiro e nos sensores, selando um significativo avanço na área de projeto e de construção de submarinos no Brasil.

    O  Submarino é comandado atualmente pelo Capitão-de-Mar-e-Guerra, Eduardo Antonio Pires Martins, que tem sob o seu comando uma tripulação composta de 44 homens.

    Características Gerais:
    Deslocamento: 1.490/1.620 toneladas.
    Comprimento: 62 metros.
    Velocidade máxima: 22 nós.
    Raio de ação (milhas): 11000 a 8 nós na superfície / 400 a 4 nós submerso.
    Autonomia: 50 dias.
    Tripulação: 44 militares.
    Armamento: 8 tubos de lançamento de torpedo.

    Fonte DNONLINE

    domingo, 12 de agosto de 2012

    Homens se salvam mais em naufrágios do que mulheres e crianças

     

    A ideia de que em um naufrágio as mulheres e as crianças são resgatados primeiro é um mito, segundo cientistas que analisaram 18 catástrofes marítimas e descobriram que, no geral, os homens dão preferência a salvar a si mesmos. O naufrágio do Titanic - no qual 70% das mulheres das mulheres e crianças a bordo se salvaram em comparação com 20% dos homens - é uma rara exceção à regra e praticamente criou o mito do "mulheres e crianças primeiro", segundo estudo realizado pelos suecos Mikael Elindera e OscarErixson, do Departamento de Economia da Universidade de Uppsala, Suécia, e publicado nas Atas da Academia Nacional de Ciências (PNAS).
    Na maioria dos casos, o capitão e a tripulação tendem a se preocupar com a própria segurança em primeiro lugar, e os homens a bordo costumam se salvar em dobro em relação às mulheres e a taxa das crianças é ainda pior. Os pesquisadores analisaram dados de desastres marítimos de 1852 a 2011, incluindo 15.000 passageiros e tripulações de mais de 30 nacionalidades diferentes.
    A análise não incluiu a catástrofe do cruzeiro italiano Costa Concordia (foto acima), ocorrida em janeiro passado e cujo capitão foi muito questionado por ter abandonado o barco antes que os 4.200 passageiros fossem evacuados.

    No naufrágio morreram 32 pessoas. Mas o estudo mostra que o comportamento do capitão Francesco Schettino parece não ser tão incomum. Os dados históricos mostram que os membros da tripulação "têm uma taxa de sobrevivência superior à dos passageiros e que só nove entre 16 capitães afundaram junto com seus barcos", assinala o estudo. Os casos nos quais o capitão pediu aos passageiros e à tripulação para dar prioridade às mulheres e crianças foram os que apresentaram melhores taxas de sobrevivência no geral.
    No caso do Titanic, o capitão ordenou que as mulheres e as crianças fossem colocados a salvo primeiro e houve informes de empregados que dispararam contra os homens que desobedeceram a esta ordem. As mulheres sobreviveram mais que os homens em apenas dois dos naufrágios estudados, o do Titanic em 1912, e do Birkenhead, um navio britânico que encalhou no Oceano Índico em 1852.
    Consideravelmente menos mulheres que homens sobreviveram em 11 naufrágios, e não houve clara evidência de uma diferença nos cinco casos restantes estudados. Nos naufrágios britânicos em particular, o estudo revelou que as mulheres sempre se deram pior que os homens, apesar de a ordem se salvar mulheres e crianças se dar com mais frequência nos navios britânicos.
    "Isso contrasta com a noção de que os homens britânicos são mais cavalheiros do que os homens de outras nacionalidades", afirma o estudo. "O que aconteceu no Titanic parece ter passado ideias erradas sobre o comportamento humano durante uma catástrofe", concluem os investigadores.
    Fonte: Terra
    Leia mais (em inglês): Women and Children First? Titanic and the Suffragettes
    Vídeo: Are Shipwreck Evacuation Rules Still "Women And Children First"

    Postado no Popa

    Fábrica de navios mais antiga do mundo fecha na Inglaterra


    Fábrica de navios mais antiga do mundo produziu em Julho a última embarcação. As dificuldades do sector obrigaram ao encerramento.
    A fábrica de navios mais antiga do mundo vai fechar, tendo vendido o último navio em Julho, refere a empresa de contabilidade Tait Walker num comunicado citado pela Bloomberg.
    Com sede em Newcastle e a operar desde 1730, a Stephenson Clarke Shipping empregava actualmente nove pessoas. Por se tratar de uma pequena empresa não haverão implicações no sector.
    A indústria de navios em Inglaterra teve receitas no valor de 12,6 mil milhões de libras (15, 91 mil milhões de euros) em 2010, segundo a entidade que representa a indústria do sector.
    A circulação marítima de matérias-primas está a decrescer, de acordo com dados avançados pela Bloomberg.

    Postado no Popa

    quarta-feira, 1 de agosto de 2012

    Tribunal de Haia condena assassinos do marinheiro Galego

    Essa otima noticia eu copiei todinha do Diario do Avoante do meu amigo Nelson Mattos. Fiquei muito feliz com a condenação desses assassinos, pois tive desde o inicio das investigações, participação na identificação deles e fico agora,com a sensação de dever cumprido para com a memória do Galego.

    justica1Fui buscar essa imagem da justiça sem a venda nos olhos para noticiar a condenação dos dois holandeses que confessaram a morte do marinheiro Sebastião da Cunha Lima, Galego. Os dois homens, de 51 e 31 anos, foram condenados a 13 e 12 anos de prisão por um tribunal em Haia. A notícia foi divulgada ontem por jornais e site holandeses, entre eles obinnenland.nieuws.nl e rechtspraak.nl . Galego desapareceu em 2005 quando saiu para mostrar um veleiro a dois estrangeiros e nunca mais retornou ao píer do Iate Clube do Natal. No ano passado, ao completar seis anos do desaparecimento do Galego, fiz um texto com o título: Waypoint: Lat. S 05º45.918’/ Log. W 035º12.256’. Foi através de um comentário feito ontem, 31/07, por um leitor, que fiquei sabendo da condenação. Não sei se a justiça foi realmente feita, mas felizmente ela estava de olhos bem abertos. A partir de agora, se confirmada a condenação, o amigo Galego poderá descansar em paz e sua família receber o conforto da justiça dos homens.”