Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


quinta-feira, 31 de março de 2011

Dicas do Helio

 

Inox manchado? Gel nele!

No artigo anterior Reinaldo Giovannetti deu a dica para limpar peças de aço inox amareladas com a aplicação de suco de limão. Eu, como sou preguiçoso, prefiro usar o limão pra fazer caipirinha, mas aí perguntei: e se a peça continuar manchada? Então ele respondeu:

O tom amarelo nada mais é que óxido na superfície do material, que pode ser retirado com ácido cítrico, desde que não esteja muito aderente. Se a camada de óxido estiver muito aGel decapante Amazôniaderente o limão poderá até tirar um pouco, mas a peça continuará amarelada. Neste caso devemos partir para a força bruta: aplicar um decapante.

O decapante mais eficiente para aço inox é o ácido nítrico (HNO3) que deve ser diluído em água, ou, o que julgo ser a melhor opção para velejadores, em forma de gel.

Não custa lembrar que o ácido nítrico, ou gel decapante, é perigoso e deve ser manuseado com luvas, máscara e óculos de segurança.

O gel decapante para inox é uma pasta branca, parecida com graxa à base de Lítio e já vem pronta para usar. Após lavar bem a peça com água e sabão é só aplicar o gel na superfície da peça, com pincel, deixar por 15 minutos, retirar com água em abundância e lavar com sabão. Mas atenção: se o gel ficar muito mais tempo a peça ficará manchada definitivamente. As duas marcas de gel mais comuns no mercado são Amazônia e Avesta.

Postado no blog do Maracatu

Brasil oferece ajuda a velejadores japoneses

Com o treinamento prejudicado por conta do terremoto e do tsunami que atingiram o Japão, a equipe de vela japonesa ganhou a ajuda brasileira. A Confederação Brasileira de Vela e Motor (CBVM) colocou à disposição dos atletas as instalações do Centro de Vela de Alto Rendimento, localizado no Iate Clube Armação de Búzios, na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro, além de diversos equipamentos.
A entidade também ofereceu os nove núcleos de vela espalhados pelo país: na região Sudeste o Yacht Clube de Santo Amaro, Iate Clube do Rio de Janeiro, Clube Naval Charitas e Búzios Vela Clube; na região Sul o Clube dos Jangadeiros, Veleiros do Sul e Iate Clube de Santa Catarina; na região Centro-Oeste o Iate Clube de Brasília); e na região Nordeste o Yacht Clube da Bahia).
Os velajadores Lars Grael e Abraham Rosemberg também decidiram ajudar. O primeiro colocou à disposição dos japoneses as instalações do Projeto Grael, em Niterói, no Rio de Janeiro. O segundo pode hospedar em sua casa de praia os atletas que vierem treinar no país.

Postado no Popa

quinta-feira, 24 de março de 2011

Feijoada no Caribe

 

O Sérgio, do veleiro Travessura, resolveu fazer uma feijoada para a comunidade brasileira da Lagoon Marina.

 

Pirateado do Guga Buy

Umidade, veja como evitar que ela tome conta do interior do seu barco


Barcos foram feitos para a água. Porém, a recíproca está longe de ser verdadeira. O excesso de umidade a bordo causa mau cheiro, mofo e, nos casos mais graves, até o apodrecimento do casco. E a umidade não dá trégua, nunca. Atua o tempo todo, faça sol ou – especialmente – chuva, quando fica pior ainda. Para evitar que ela tome conta do interior do seu barco e acabe por destruí-lo bem antes do previsto, a única saída é enfrentá-la com o mesmo vigor e obstinação. Basicamente, há duas providências fundamentais: ventilar bastante o barco e impedir que ele molhe por dentro. Fácil? Nem tanto.
Uma boa ventilação controla naturalmente a umidade do ambiente e previne contra a proliferação dos micro–organismos responsáveis pelo mofo, ou bolor. Quanto mais escotilhas e gaiutas a cabine tiver, melhor para a ventilação – e, também, para a iluminação. Cabine escura é um convite irrecusável aos fungos, essas criaturas microscópicas e indispensáveis à natureza, mas que não sabem distinguir entre um galho caído no chão e a lancha que você acabou de comprar. E tudo o que você pode fazer é limitar sua ação e crescimento, a fim de preservar o barco. E, de quebra, evitar certas alergias.
No combate à umidade, o sol é um grande aliado. Sempre que puder, abra todo o barco e coloque os estofados para fora, para arejar. Se estiver planejando um fim de semana a bordo, passe antes na marina, para fazê-lo “respirar” antes de a família embarcar – mulheres, principalmente, são bem sensíveis a odores estranhos. Se tiver marinheiro, peça que ele faça isso várias vezes por semana – se possível, todos os dias. Dá trabalho? Dá. Mas, acredite, é o jeito mais simples.
Outro recurso é usar um desumidificador, aparelho que diminui a umidade no ar ao condensar o vapor d’água. Nele, o ar é reaquecido e devolvido ao ambiente, enquanto a água retirada do ar é armazenada e, depois, drenada. É uma boa solução para evitar não só os fungos, mas também a corrosão e a ferrugem. Os desumidificadores mantêm a umidade entre 40% e 60%, dentro, portanto, do limite saudável para os seres humanos, e abaixo do nível que favorece a proliferação dos fungos e bactérias. Existem diversos tipos e tamanhos de desumidificadores no mercado e o ideal é usá-los junto com um termohigrômetro, aparelhinho de nome esquisito, mas muito útil num barco, porque “lê” a umidade dos ambientes. Funciona com pilhas e pode ser instalado em qualquer canto.
Porém, o controle da umidade pode ser feito diretamente pelo condicionador de ar (se o seu barco tiver um), dispensando o desumidificador. Já para controlar a umidade em armários e gavetas, não há aparelhinho que dê jeito. Nesse caso, é preciso lançar mão de produtos específicos para isso, como, por exemplo, o AntiMofo da Boat Brill, em forma de spray, ou os saches de silica gel, um material sintético que retém as moléculas de água presentes no ar. A vantagem da sílica gel é poder ser reutilizada, bastando para isso mantê-la por 40 minutos numa temperatura acima dos 100°C.
Espalhar potinhos de sal grosso pela cabine também ajuda a reduzir a umidade, assim como fazer pequenos orifícios nas portas dos armários (ou instalar lâmpadas dentro deles), de forma a ventilar e aquecer esses compartimentos. Vale tudo, enfim, para ganhar a guerra contra a umidade. Afinal, barco parado estraga. E se, além de parado ele ficar fechado, irá estragar mais rápido ainda.
Dicas sobre o que você pode fazer sem sofrer
Evite carpetes e tapetes de tecido a bordo: eles acumulam umidade. O barco pode até ficar mais bonito, mas o risco de mofo dispara.
Há vários tipos de produtos antimofo nos supermercados. São à base de cloreto de cálcio, mas ideais para ambientes menores, como armários. Além disso, duram pouco.
Isole os armários dos costados do casco com cortiça ou qualquer outro isolante térmico. Se possível, instale janelas de ventilação nas portas deles.
Não deixe nenhum objeto molhado dentro do barco, mesmo que esteja apenas úmido. Toalhas e material de mergulho, só se estiverem completamente secos.
Lave periodicamente as roupas de cama, cortinas e outros tecidos internos do barco, porque eles retêm umidade.
De vez em quando, retire também as almofadas e os colchões da cabine e coloque-os ao sol.
Sempre esgote a água do porão. E instale pequenos ventiladores na cabine, pois eles ajudam na circulação do ar.
Considere a possibilidade de instalar um condicionador de ar a bordo. Por gerar ar seco, ele retira a umidade do ambiente.

 

Por Felipe Caruso
Da revista Náutica, edição 251

domingo, 20 de março de 2011

3º Cruzeiro Costa Sul





Já estão abertas as inscrições para o 3º Cruzeiro Costa Sul, que larga 21 de abril da Marina Bracuhy. Vale lembrar que as vagas são limitadas, e só para 25 barcos! Mas podem participar veleiros, lanchas ou trawlers.

terça-feira, 15 de março de 2011

Pé no pedal e lixo no lixo


Quero divulgar aqui o trabalho desse casal de paulistas que se propôs a percorrer a America Latina de bicicleta  realizando peça de teatro de fantoches para crianças do Ensino Fundamental na faixa etária de 6 a 11 anos, com o objetivo de despertar o entusiasmo e o amor pela natureza que a cerca, e não apenas ensinar conceitos.

"Queremos trabalhar com a ecologia interior de cada individuo, desenvolvendo um mundo, com mais amor, ação correta, a verdade, a não-violência, e a paz. Transferir valores, como por exemplo, a dignidade, a formação de caráter, transferindo assim, esses valores para o meio ambiente, ou para qualquer situação em sua vida".

O objetivo é educar sobre a utilização dos recursos naturais de forma sustentável e estimular uma ciclocultura, cultivando o uso da bicicleta de forma permanente e benéfica, promovendo-a como veículo de transporte, lazer e esporte ético e sustentável.

Esse pessoal  não é velejador, mas tambem viaja dependendo das condições de clima, fazendo seu proprio tempo e sem poluir como estes.

Passa pelo site ou pelo blog deles e da uma olhadinha,e se quiser fazer parte da jornada tem uma conta do Banco do Brasil onde é possivel apoia-los.

http://penopedalelixonolixo.spaceblog.com.br/

http://www.penopedalelixonolixo.com.br/projeto.html

Blog da Izabel


Convido a todos a acompanharem o blog da mais nova cruzeirista, a nossa primeira mulher a cruzar o Atlântico em solitário,Izabel Pimentel.

segunda-feira, 14 de março de 2011

manobra de capear - acalmando a situação




"Capear é realmente a melhor solução quando não sabemos mais o que fazer: cambamos sem tocar nas escotas, deixamos a buja aquartelada, passamos o leme para o lado contrário, deitamos no cockpitfechando os olhos e vemos então as coisas como eslas são..."
Bernard Mointessier
(10 de abril de 1925 Hanoi, Vietnan - 16 de junho de 1994, França)
Esta frase foi extraída do livro "LA LONGUE ROUTE" que no Brasil foi traduzido para ¬ O longo Caminho" de Bernard Mointessier.

Postado no blog do veleiro Big Rider

Depois do medidor de vento, agora uma facilidade para fazer a Navegação




Mesmo sem ter nenhum, estou me tornando fã dos aparelhinhos da Apple®. Depois do medidor de vento beeem baratinho, achei na iTunes App Store o Marine BRA da GeoGarage. Pela bagatela de US$5.99 você baixa o aplicativo para iPhone e iPad que é uma verdadeira mão na roda de leme. Daí você tem acesso às 226 cartas náuticas raster disponibilizadas pela DHN, a Diretoria de Hidrografia e Navegação da Marinha do Brasil.
Não experimentei ainda, mas o Marine BRA utiliza o GPS do aparelho para mostrar o trajeto de sua embarcação em tempo real, com funções de multi toque e zoom. Plotagem de waypoints e distância percorrida são recursos adicionais nesse aplicativo básico, porém de fácil uso.
Uma das vantagens citadas na App Store é que todos as cartas náuticas estão na nuvem de servidores daGeoGarage (eles usam o cloud computing), não havendo necessidade de compra de cartas individuais. Assim, também, toda vez que a DHN atualizar as cartas existentes elas entram no ar automaticamente.
Note que só funciona onde houver sinal de celular, mas vai navegar para além mar? Pois os Centros de Hidrografia desses países também firmaram acordo com o GeoGarage e disponibilizaram seus catálogos de cartas raster: Nova Zelândia, USA, Bahamas e Argentina.

Postado no blog do Maracatu

Dez mandamentos do navegador (eco)consciente 9º

 

Só jogarás na água o que o peixe pode comer

 

Por Luiz Maciel
Da revista Náutica, edição 248

sexta-feira, 11 de março de 2011

Parabens Jonas!



Conhecendo o Jonas e seu espirito competitivo, imagino que ele deve estar muito feliz com a oportunidade de participar de uma regata no Caribe, de Marigot a Simpson Bay a bordo do veleiro Streaker e ficar com o segundo lugar.E tambem de ter ficado com um terceiro em uma regata de volta da ilha de St. Maarten.
Meus parabens Jonas e quando estiveres numa dessas lembra do amigo Antonio que queria estar la tambem.


Dez mandamentos do navegador (eco)consciente 8º

 

Não jogarás esgoto no mar

 

Por Luiz Maciel
Da revista Náutica, edição 248

terça-feira, 8 de março de 2011

America’s Cup AC45

O AC45, que será o protótipo para o AC72, está quase pronto.

Agora o pessoal da Nova Zelândia está trabalhando na Vela-asa, um conceito revolucionário de propulsão nos barcos a vela.

AC 45 - Foto: Gilles Martin-Raget/Oracle Racing

Vela Asa - Foto: Gilles Martin-Raget/Oracle Racing

Vela Asa - Foto: Gilles Martin-Raget/Oracle Racing

postado no blog do veleiro Mythos

Dez mandamentos do navegador (eco)consciente 7º

 

Provocarás o mínimo de ruído e turbulência na água

Por Luiz Maciel
Da revista Náutica, edição 248

Mergulho em Natal



Em Natal existem diferentes e maravilhosos pontos de mergulho, que encantam os praticantes desse esporte e trazem cada vez mais turistas com a intenção de conhece-los.
Temos os locais ja famosos no meio turistico para passeios de barcos e mergulhos em apnéia como os parrachos de Pirangi, que são explorados pela empresa Marina Badauê e os parrachos de Maracajaú que entre outras tem a Maracajaú Diver e o Manoa park que fazem passeios para apneia e ate mergulhos com cilindros, para iniciantes, ate cinco metros de profundidade.
Para quem quer um mergulho mais profundo, com experiencias mais emocionantes como avistamento de tubarões, polvos, lagostas e muitos outras especies da vida marinha, seja um mergulhador credenciado ou alguem que queira fazer um batismo com acompanhamento um divemaster, um   profissional que ira monitorar todo seu mergulho, temos duas otimas empresas que levam a pontos muito interessantes nos litorais norte e sul.
No litoral norte a Mar & Sub e sua equipe, comandada pelo mergulhador Afonso, e no litoral sul a Caju Divers e sua equipe sob o comando do mergulhador Paul  oferecem cursos em diversos niveis, e saidas para mergulhos, credenciados e batismos, em cerca de dez pontos, cada uma, de diferentes caracteristicas, com profundidades que variam de 14 a 35 metros a uma distancia de 10 a 12km da costa.
Nosso melhor periodo para mergulho vai de outubro a abril,  aguas com  temperaturas de 29°C e visibilidade  media de 20 metros podendo no verão chegar a 50 metros são um convite para voce vir mergulhar em Natal/RN.

segunda-feira, 7 de março de 2011

Ajudando no caixa dos Três no Mundo

Olá Amigos!!!
Um dos meus chalés em Ilhabela, cuja renda nos mantém viajando, desocupou. Se souberem de alguém interessado em ter um cantinho gostoso em Ilhabela para alugar, por favor, passem meu e-mail (sergio@tresnomundo.com.br).
O aluguel é R$ 700,00 por mês e o condomínio R$ 85,00 por mês.
Acessem fotos em http://www.tresnomundo.com.br/chaleAguaBranca.htm
Abraços grandes e obrigado!!!

Dez mandamentos do navegador (eco)consciente 6º

 

Respeitarás os limites de pesca e de navegação

Por Luiz Maciel
Da revista Náutica, edição 248

quinta-feira, 3 de março de 2011

Dez mandamentos do navegador (eco)consciente 5º

 

Evitarás produtos agressivos ao meio ambiente

Por Luiz Maciel
Da revista Náutica, edição 248

É cedo que se começa!


P1020946 [1280x768]
                                                          P1020942 [1280x768]P1020944 [1280x768]
   Participando de sua primeira regata “Ilha de Caras” com pouco mais de um ano, Catarina ja se mostra        interessada não so em timonear como tambem com a navegação, parecendoate uma garota propaganda do   Spot.Incentivada pelo avô Leonel Szterling a pequena Cat parece ser uma promessa nas competições no  futuro,e contara certamente com o apoio dos pais mergulhadores  e as dicas  da mãe que velejou de Optimist.
   Mas ja deixa claro que o negocio dela é velejar, nada de ligar o motor.
   Ei vovô, mamãe e papai só esqueceram do colete na nossa pequena velejadora, precisamos ter a segurança em primeiro lugar.


P1020959 [1280x768]
P1020958 [1280x768]

terça-feira, 1 de março de 2011

Festa arretada!

Quer ver uma festa arretada de boa?
Da uma olhada no post Velejando no Canal de Itaparica 
no Diario do Avoante

Dez mandamentos do navegador (eco)consciente 3º

 

Só usarás motores e combustíveis menos poluentes

 

Por Luiz Maciel
Da revista Náutica, edição 248

Para sair por ai tuitando e navegando

Quer sair por aí todo conectado, tuitando e facebookando enquanto navega, mas não tem sinal de internet? Pois seus problemas acabaram! É o que promete essa caixinha preta na foto ao lado, o Spot Connect.

Lançado no CES 2011, o Consumer Electronics Show, um dos maiores eventos de inovação tecnológica do mundo, que rolou em Las Vegas em janeiro passado, oSpot Connect funciona como uma antena de satélite portátil.

É só sincronizar o bichinho, via Bluetooth, com um iPhone (ou com smartphones que rodam o Android) pra enviar mensagens SMS e atualizar o Facebook e o Twitter… via satélite!

O site do produto fala em mandar pequenos e-mails, se bem que não achei mais detalhes. Se for verdade, dá até pra blogar enquanto se navega. E mais, o Conect mantém todas as funções do antigo rastreador SPOT, de quem já falei aqui: através da rede de satélites da GlobalStar, o usuário pode enviar sua localização para os contatos previamente cadastrados, mandar mensagens SOS para oGEOS International Emergency Response Center e até plotar sua posição no Google Maps.

Onde comprar? Breve em um revendedor perto de você. Mas como o serviço é mundial, não importa muito onde ele é contratado – na gringolândia sai por US$ 170, mais uma taxa anual 99 dólares. Já botei na wishlist da minha próxima viagem ao exterior.

A dica, eu pesquei no blog do veleiro Mythos e aqui tem um filminho, em inglês, mostrando detalhes do serviço.

 

Pirateado sem remorso do Maracatu

Veleiros estrangeiros irregulares

Receita Federal resolveu apertar o cerco a veleiros estrangeiros que estão com a permanência estourada em Salvador/BA. Esta semana foram apreendidos 10 veleiros irregulares. Dois deles estavam há vários anos ancorados em Itaparica e ontem foram rebocados pela Capitania dos Portos da Bahia.

Postado no Diario do Avoante