Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


domingo, 23 de outubro de 2011

Dois visitantes ilustres chegaram a Natal nesse domingo

Os veleiros Moonwalker e Plankton, este talvez seja o que tenha inspirado o nome de tantos outros Planktons que andam por ai,chegaram no Iate Clube do Natal para um descanso e alguns reparos antes de irem para o Caribe.

      IMG_7697

O casal Karin e Russel e a pequena Brisa chegaram para trocar uma vela que rasgou. O Moonwalker partiu de Paihia, Bay of Islands (Nova Zelândia) em junho de 2006 com o ambicioso plano de dar a volta ao mundo. Depois de uma parada estratégica na África do Sul para terem uma filha, Brisa, em junho de 2010, seguiram para o Brasil, onde estão em partida para o Caribe.

 

 

O Plâncton é um Swan 40 pés (projeto altamente conceituado e referência até hoje), contruido na Finlândia que Geraldo importou em 1973.Todas as viagens do autor aconteceram a bordo desse barco e tiveram inicio em 1976, quando Geraldo percorreu toda costa brasileira e depois as Antilhas em 1978.

Materia sobre o Plankton pirateada do blog do Andante

Velejador imprudente quase é atropelado por navio com 2,4 mil passageiros a bordo

Veleiro quase é atropelado por navio de 42 mil toneladas


Um velejador arriscou a própria vida ao manobrar sua embarcação bem perto de um navio de cerca de 42 mil toneladas, um cruzeiro que transportava cerca de 2,4 mil passageiros. A cena dramática ocorreu próximo ao condado de Devon, na Inglaterra.
Assustado, o piloto do navio Brittany Ferries Pont-Aven chegou a buzinar cinco vezes para que o velejador se afastasse. A grande embarcação seguia para o porto de Millbay, em Plymouth Sound. Passageiros que estava a bordo e que viram a cena temeram pelo pior.
“Nós ficamos rangendo os dentes de aflição, prontos para o impacto. O velejador teve sorte de sair ileso”, disse o músico Guy Harris, de 51 anos, à reportagem do jornal inglês Daily Mail.
Fonte: Extra Online; Foto: Reprodução

Barco funerário viking é encontrado no Reino Unido

Arqueólogos britânicos descobriram os vestígios de um barco funerário viking nas terras altas escocesas, que, afirmam, é um dos mais importantes já encontrados no Reino Unido.
O barco-túmulo, de 5 metros de comprimento, continha os restos de um guerreiro de alto escalão que foi enterrado com um machado, uma espada, uma lança, um escudo e um broche de alfinete na jazida de Ardnamurchan, de mais de mil anos de antiguidade, segundo a Universidade de Manchester, uma das instituições que participam das escavações.
Além disso, também foram encontrados no túmulo, que utilizou em sua construção 200 rebites britânicos, uma faca, o que poderia ser a ponta de um chifre de bronze utilizado para beber, uma pedra para amolar norueguesa, cerâmica viking e diversas peças de ferro que não foram identificadas.
A co-diretora do projeto, Hannah Cobb, professora de Arqueologia da Universidade, qualificou a descoberta de "apaixonante".
"Um barco funerário viking é uma descoberta incrível, mas, além disso, os artefatos e o estado de conservação fazem dele um dos túmulos nórdicos mais importantes já escavados no Reino Unido", acrescentou Cobb, que trabalhou durante seis anos com especialistas da Universidade de Leicester e outros arqueólogos escoceses.
Os vikings, como são conhecidos os povos germânicos navegantes e guerreiros procedentes da Escandinávia que se lançaram à conquista da Europa entre o fim do século VIII e meados do XI, utilizavam os barcos como túmulos para enterrar personalidades da época com suas posses.
Especialistas em vikings da Universidade de Glasgow acreditam que este barco-túmulo possa datar do século X.
Fonte: AFP, postado no Popa

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Uma aventura e um susto incriveis!

Casal australiano tem barco arrastado por baleia por 3 km
Jubarte 'enroscou' na corda da âncora e puxou barco para o mar.
Um casal australiano passou por passeio de barco aterrorizante. Glenn Wilson e Nerida Higgins estavam em um barco ancorado próximo à costa de Queensland, na Austrália, quando uma baleia Jubarte "enroscou" na corda da âncora e arrastou o barco para o mar.
Segundo a emissora de TV "Sky News", a viagem assustadora durou 15 minutos e o barco foi arrastado por três quilômetros. O casal chegou a pedir, sem sucesso, por ajuda para polícia e guarda costeira. "Eu acho que eles não acreditaram", disse Nerida.
Quando apareceu uma segunda baleia Jubarte, o casal decidiu cortar a corda. Apesar do medo, Nerida conseguiu filmar o incidente.
Veja o vídeo
Fonte: G1; postado no Popa

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Valeu Guga!

Moro em Natal no RN, mas como todo gaúcho sou um apaixonado por Floripa e não quero que ela se transforme num Rio de Janeiro (no lado ruim do Rio, entendam bem,pois tambem adoro o Rio ),e resolvi me engajar na campanha SALVE FLORIPA, colocando o texto do Beltrão.

 

Hoje vou sair do objetivo deste blog para comentar a entrevista (vale a pena ler) que o tenistaGustavo "Guga" Kurten deu ao jornal local Diário Catarinense, na última terça-feira onde se queixou do caos que está Florianópolis, sua terra natal. Guga chegou a afirmar que do jeito que está indo a situação poderá até ir morar em outro lugar. Tem muito a ver comigo pois vim morar em Floripa há 40 anos por me apaixonar por esta cidade. Infelizmente hoje já tenho planejada minha saída da cidade, justamente por conta dos problemas abordados na entrevista.

Guga é um ídolo do esporte brasileiro, o maior atleta catarinense em todos os tempos, aqui chamado de "manézinho da ilha" por sempre, mesmo depois da fama, ter defendido Florianópolis, seu jeito simples de ser, seus costumes, seu time de futebol (o Avaí), seu ar provinciano e pacato. Acontece que esta Florianópolis não existe mais. A cidade explodiu nas duas últimas décadas, ficou famosa internacionalmente (muito graças ao próprio Guga), sofreu grande e rápida expansão populacional e não soube "administrar" isto. Hoje temos todas as mazelas das grandes metrópoles e, o que realmente deve estar preocupando o Guga, não se faz nada, não se planeja, não se tem nenhuma perspectiva que ao menos possa atenuar esta escalada do caos, como bem disse o Guga.

A entrevista provocou uma repercussão enorme na cidade. Todo mundo dando sua opinião, mídia, população, políticos, cidadãos comuns, redes sociais a mil (Guga criou a tag no twitter #SalveFloripa). De maneira geral a população, que sofre estes efeitos danosos apoiando, e os políticos e outras autoridades, como é de seu feitio, minimizando os fatos. Nosso alcaide, grande especialista em se escapar dos inúmeros processos que seus atos, digamos assim "pouco republicanos", provocam, diz que temos mais esgoto que outras capitais (50% da população segundo ele, só se ele contou as com esgoto 3x) e por aí. Um dos coronéis da PM (que já teve uma gravação sua divulgada ordenando a subordinados para não atender ocorrência numa rua próxima a um shopping por ser de "bacanas") justificando que em outras capitais é maior, citando dentre elas o Rio, como seu Rio pudesse ser comparação. É para a situação do Rio que estamos caminhando em passos céleres. Infelizmente o que aconteceu com o Rio não tem servido de exemplo a ser evitado.


Guga Kurten é um ídolo, assim como Ayrton Senna, Pelé e, agora, Torben Grael, porque além de grande atleta sempre se preocupou com seu país e seu povo, dá exemplo de carácter e cidadania. Diferentemente dos "ídolos de barro" do nosso futebol, fabricados as dezenas. E por isto suas palavras tem peso e provocaram tanta repercussão.
Parabéns, Guga!

Postado por LFBeltrao no blog do veleiro Tinguá

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Premiação da FeNat e Circuito Norte-rio-grandense de vela

SAM_2559

Neste domingo tivemos no Iate Clube do Natal a premiação da FeNat (Regata Fernando de Noronha / Natal), e do circuito Norte-rio-grandense de vela. Tudo isso regado a muito chopp e uma deliciosa feijoada como como pode ser visto nas fotos ao clicar na foto acima.

domingo, 9 de outubro de 2011

Patrimônio nacional, canoa de tolda Luzitânia rende prêmio do Iphan

 

 

Restauração foi feita ao longo de sete anos

 

O Projeto Luzitânia, da Sociedade Canoa de Tolda, que fica em Brejo Grande, cidade a 140 quilômetros de Aracaju, foi premiado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) na categoria “Preservação de Bens Móveis”. O projeto que devolveu a canoa de tolda Luzitânia ao Rio São Francisco foi um dos sete premiados entre os 230 trabalhos inscritos no Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade.
Implantada em 1997 por Carlos Eduardo Ribeiro, a ONG Sociedade Canoa de Tolda tinha como grande objetivo restaurar e manter em atividade uma das embarcações mais tradicionais da região do São Francisco: a canoa de tolda Luzitânia foi tombada como patrimônio nacional. A restauração foi feita ao longo de sete anos, com os dois mastros de nove metros substituídos, as velas latinas de algodão trocadas e 14 das 22 cavernas refeitas, além de o casco ter sido reforçado.
Mas os trabalhos da Sociedade vão muito além da restauração da canoa de tolda. Os voluntários promovem melhorias nas condições de vida da população ribeirinha e a integração entre as comunidades das margens sergipana e alagoana do Baixo São Francisco.
Além de certificado e troféu, a Sociedade Canoa de Tolda receberá R$ 20 mil pela premiação. Criado em 1987, o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade – homenagem ao homem que dirigiu o Iphan de 1937 a 1968 – reconhece iniciativas dedicadas à proteção, preservação e divulgação do patrimônio cultural brasileiro.

Postado na Nautica

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Inscrições para a regata de 164 anos da Capitania dos Portos do RN

Para os velejadores que gostam das águas limpas e quentes do rio Cunhaú e também para aqueles que ainda não conhecem este paraiso, a partir de hoje está oficialmente aberto o período de inscrições para a regata de 164 anos da Capitania dos Portos do RN, que acontecerá no Iate Clube de Barra do Cunhaú.

A regata já conta com o apoio da prefeitura de Canguaretama, bem como de patrocinadores privados.

Informações sobre a regata:
Data: 16 de outubro de 2011
Semana: Domingo
Horário da festa: O dia todo
Horário das regatas: Pela manhã
Público estimado: 150 convidados
Site da Capitania: www.mar.mil.br/cprn

Informações complementares sobre a região:
- Site de Barra do Cunhaú 01
- Site de Barra do Cunhaú 02
- Site de Barra do Cunhaú 03

Pirateado do http://velejar.wordpress.com