Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


sexta-feira, 29 de junho de 2012

Projeto do novo barco one-design da Volvo Ocean Race foi apresentado na França

 

A mudança vai permitir uma significativa redução de custos e o aumento da flotilha.

Foto: Divulgação / Volvo Ocean Race

O diretor geral da Volvo Ocean Race, Knut Frostad, apresentou, hoje em Lorient (França) – onde as equipes se preparam para a última etapa –, a nova classe de barco que competirá nas duas próximas edições da Regata de Volta ao Mundo. A mudança vai permitir uma significativa redução de custos e o aumento da flotilha.
O novo barco é um monocasco de 65 pés (19,8 metros de comprimento)one-design, concebido pela Farr Yacht Design, dos Estados Unidos, e será construído por um consórcio de estaleiros da Inglaterra, França, Itália e Suíça. O acordo firmado entre a Volvo Ocean Race e este consórcio garantirá a construção de um mínimo de oito unidades para competir nas duas próximas edições.

Foto: Divulgação / Volvo Ocean Race

Os trabalhos começarão já no próximo mês de julho, com a construção do molde prevista para agosto. A primeira unidade deverá estar pronta em junho de 2013, com mais de um ano de antecedência antes do início da 12ª Volvo Ocean Race, que partirá de Alicante na segunda metade de 2014. A partir do momento em que a primeira unidade for entregue, um barco novo será concluído a cada sete semanas.
Apesar de ter 5 pés (1,5 metros) a menos que o atual Volvo Open 70, o novo desenho permitirá performance parecida às das últimas três edições (2005-06, 2008-09 e 2011-12). O barco estará equipado com a última tecnologia em vídeo, comunicação por satélite e produção de conteúdos para seguir evoluindo com o programa de comunicação online iniciado na edição 2008-09.

Foto: Divulgação / Volvo Ocean Race

O acordo anunciado hoje em Lorient foi possível depois que a Volvo Ocean Race S.L.U. assegurou o financiamento necessário para garantir o processo de concepção e construção dos barcos conforme o programa estabelecido. Os barcos serão comercializados pela empresa britânica Green Marine, responsável por sua montagem final. Os estaleiros Multiplast (França), Persico S.p.A. (Itália) e Decision S.A. (Suíça) fabricarão os diferentes componentes de cada barco.
De acordo com Knut Frostad, será possível montar uma campanha competitiva por menos de 15 milhões de Euros. O custo final de um barco, pronto para navegar, incluindo os jogos de velas tanto para o período de preparação como para a regata completa, ficará em torno de 4,5 milhões de Euros, o que significa uma redução de 50% em cada regata.
Durante sua apresentação, Knut Frostad destacou: “Este novo desenho, aliado ao acordo de construir um mínimo de oito unidades, levará a Volvo Ocean Race a uma nova era. Representa um novo marco para a regata que, ao longo de seus 39 anos de história, nunca hesitou em evoluir. O salto ao conceito one-design nos proporciona um extraordinário ponto de partida para planejar nossas duas próximas edições e coloca a Volvo Ocean Race em uma posição privilegiada para seguir avançando”.

 

Jeni Andrade
Da Redação da Revista Nautica, com informações da assessoria de imprensa