Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


segunda-feira, 19 de novembro de 2012

É o fim dos pirotécnicos?

Pode ser o fim dos riscos, de colocar fogo na balsa, se queimar ou ver o sinalizador falhar n hora H.

Imagine na hora do desespero, durante um abandono de ambarcação os pirotécnicos lançados na tentativa de você ser visto. Após aguns segundos em que duram, a esperança se esvai com a fumaça do aparato apagado.
Potencialmente perigoso em um espaço confinado e curto na queima, estes são os tipos de riscos que Greatland Laser está esperando solicitar à indústria naval americana para mudar de foguetes pirotécnicos – exigido pela Guarda Costeira dos EUA e da Organização Marítima Internacional – para um facho de laser alimentado por pilhas.
A Greatland laser vem oferecendo lasers de resgate, por anos, mas os esforços da empresa foram ganhando força recentemente na indústria privada e talvez junto ao governo os EUA.

O laser se destaca de qualquer iluminação de fundo muito melhor do que qualquer dispositivo de sinal visual eletrônico e você não vai se queimar ou colocar fogo no seu barco como pode acontecer na pirotecnia. Nessa foto, o laser emissor está a uma distância de 120 metros. Também não há restrições de transporte em linhas aéreas comerciais e eles são seguros e amigáveis para o usuário e o ambiente (Quem já disparou um pirotécnico sabe que desde abrir a embalagem, aonde segurar ou o que puxar para o disparo pode causar certa dúvida na hora “H”). Você também pode testar o produto a qualquer momento, ao contrário dos pirotécnicos. Os feixes de laser em si não são visíveis, eles devem estar em contato com alguma coisa – a cobertura de nuvens, o casco de um navio, a água ou os olhos de um pretenso salvador, por exemplo. Neste sentido, o laser de salvamento é semelhante a um espelho de sinalização de emergência. A Greatland Laser instrui o usuário da mesma forma: “mova lentamente o laser para trás e para a frente do seu alvo”. Ao contrário de um ponteiro laser do tipo usado em apresentações, os lasers de salvatagem são em forma de vetor. Como um feixe de transmissão de um sinal de radar, eles “abrem” quando saem da unidade. Assim, após 16 milhas, o tamanho do feixe é de cerca de 6.000 metros de largura, de acordo com a empresa. (Um ponteiro laser continua a ser um ponto de luz quando transmitido).
O laser tem uma vida útil de 72 horas com duas pilhas AA e tem um tamanho pequeno.


A empresa recomenda o uso de baterias de lítio para maior vida útil de armazenamento (cinco anos) e para uso em temperaturas mais frias. A marinha americana corrobora as reivindicações da Greatland Laser com relação aos benefícios do produto. Além disso, reconheceu vários fatores ambientais e de segurança que o laser oferece. O produto da Laser Greatland é vendido por US$ 100 a $200 nos EUA, dependendo das opções. A Chinook Medical Inc., em Durango, no Colorado, oferece um produto similar que é vendido por cerca de US$240. Já a Odeo Flare, com sede em Dorset, Inglaterra, oferece um laser verde para o mercado do Reino Unido. Aqui no Brasil ainda esperamos algum representante ou empresário que venda…

Postado no Alma Nautica