Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


sexta-feira, 6 de abril de 2012

EUA alvejam barco japonês à deriva após tsunami no Japão

AGuarda Costeira dos EUA disse ontem que abriu fogo contra um navio que foi solto no Pacífico pelo tsunami do ano passado no Japão, e que estava à deriva desde então, indo na direção do Alasca. A Guarda Costeira, que pretende naufragar o navio, usou uma metralhadora de calibre 25 mm, segundo o porta-voz David Mosley.

As autoridades canadenses confirmaram que estvam seguindo um "navio fantasma" japonês à deriva no Pacífico que foi arrastado pelo tsunami de março de 2011. O barco, um pesqueiro de 65 metros de comprimento, foi localizado por um avião da Força Aérea do Canadá quando se encontrava a 278 km ao oeste da ilha Haida Gwaii no norte da província da Colúmbia Britânica.
As autoridades canadenses indicaram que graças aos números do casco do navio puderam entrar em contato com o proprietário do navio e verificaram que ninguém estava a bordo. O navio, que se dedicava à pesca de lula, estava ancorado no porto da localidade japonesa de Hachinohe quando a costa do país sofreu o impacto do tsunami no dia 11 de março de 2011. Meios de comunicação canadenses disseram que as autoridades ainda não sabem onde pode terminar a viagem do pesqueiro japonês e que o Ministério de Transporte do Canadá não tem planos para interceptar o barco.
Cientistas americanos calcularam que as correntes do Pacífico estão empurrando 18 milhões de toneladas de restos do tsunami do Japão rumo às costas da América do Norte e poderiam chegar ao litoral da Colúmbia Britânica em 2014. O prefeito da cidade litorânea de Tofino, na ilha de Vancouver, Perry Schmunk, declarou ao jornal The Province que os habitantes da localidade já começaram a encontrar nas praias resíduos que parecem ter sido arrastados pelo tsunami.

Postado no Popa