Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Tribunal de Haia condena assassinos do marinheiro Galego

Essa otima noticia eu copiei todinha do Diario do Avoante do meu amigo Nelson Mattos. Fiquei muito feliz com a condenação desses assassinos, pois tive desde o inicio das investigações, participação na identificação deles e fico agora,com a sensação de dever cumprido para com a memória do Galego.

justica1Fui buscar essa imagem da justiça sem a venda nos olhos para noticiar a condenação dos dois holandeses que confessaram a morte do marinheiro Sebastião da Cunha Lima, Galego. Os dois homens, de 51 e 31 anos, foram condenados a 13 e 12 anos de prisão por um tribunal em Haia. A notícia foi divulgada ontem por jornais e site holandeses, entre eles obinnenland.nieuws.nl e rechtspraak.nl . Galego desapareceu em 2005 quando saiu para mostrar um veleiro a dois estrangeiros e nunca mais retornou ao píer do Iate Clube do Natal. No ano passado, ao completar seis anos do desaparecimento do Galego, fiz um texto com o título: Waypoint: Lat. S 05º45.918’/ Log. W 035º12.256’. Foi através de um comentário feito ontem, 31/07, por um leitor, que fiquei sabendo da condenação. Não sei se a justiça foi realmente feita, mas felizmente ela estava de olhos bem abertos. A partir de agora, se confirmada a condenação, o amigo Galego poderá descansar em paz e sua família receber o conforto da justiça dos homens.”