Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Barco é atingido por periscópio de submarino dos EUA no Golfo Pérsico

Hoje lendo o livro “Passageiros do Vento” de Edson de Deus, achei interessante uma trecho em que, ja perto das Bermudas, ele fala da preocupação com a área a sudeste do arquipelago por onde é recomendada a aproximação, devido ao colar de recifes que o rodeia, que tambem é usada para exercicios com submarinos pelos EUA e Inglaterra.

Fiquei imaginando, que susto seria encontrar de repente um submarino no seu caminho e nem se fala então que tragedia seria um acidente com um monstrengo desses.

Pois qual não foi minha surpresa ao ler hoje no Popa essa materia, que reproduzo abaixo, sobre a colisão do periscópio de um submarino classe Los Angeles(nuclear) com um navio, por sorte não um veleiro, o que mostra que as preocupações do Edson não eram infundadas.

O periscópio de um submarino americano atingiu nesta quinta-feira um barco não identificado no Golfo Pérsico sem causar, ao que parece, vítimas ou danos significativos, indicou a V Frota da Marinha Americana em um comunicado.
O USS Jacksonville (foto), um submarino de classe Los Angeles, "danificou um navio em uma operação no Golfo Pérsico" às 5h locais (0h de Brasília), afirmou o comunicado.
"O Jacksonville saiu então à superfície para verificar se havia danos no barco não identificado", indicou o texto. Mas o navio "prosseguiu sua rota com o mesmo destino e a mesma velocidade, sem dar sinais de alerta ou reconhecimento de uma colisão", prosseguiu.
Apenas um dos periscópios do submarino ficou danificado, mas seu reator nuclear e sua central de propulsão permaneceram intactos, afirmaram. Qualquer incidente marítimo que envolva a base militar americana no Golfo Pérsico carrega o risco de desencadear uma crise, devido às tensões existentes entre Estados Unidos e Irã pelo programa nuclear de Teerã.
Fonte: Terra; Foto: USNavy