Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


terça-feira, 1 de janeiro de 2013

E a Izabel começou sua aventura!

 

Mensagem de Izabel Pimentel
“Lá pelos meus 20 anos, um dia, em plena praia de Copacabana, fiz uma promessa. Mas fiz a uma pessoa: Joshua Slocum. (O primeiro homem a velejar em solitário ao redor do mundo).
- Eu, Izabel Pimentel, darei a volta ao mundo!
Hoje mais de 26 anos depois, solto as amarras do meu veleiro Don e com a companhia da minha Ellen, partimos para a tão sonhada volta ao mundo.
Deixo amores, deixo empregos, deixo para trás tantas histórias. Mas com um belo sorriso e com o calor dos meus amigos parto feliz.
Minha volta do mundo começou e terminará na França, na Vila de Sète, Mar Mediterrâneo. Mas a volta Brasil - Brasil será sem escalas e sem assistência. A Volta ao Mundo acontecerá em torno de 5 meses.
Saio de Paraty rumo a África do Sul, atravesso o Índico em direção ao sul da Austrália, sul da Nova Zelândia. Atravesso o Pacifico e passo no respeitado Cabo Horn, para enfim voltar a Paraty.
Ousadia! Pode ser. Coragem, também; mas, na verdade, tudo se resume a uma única palavra: AMOR.
Amor ao mar; a estar ali. Amor ao que faço. Amor à arte que é navegar.
Que os bons ventos me levem e me tragam de volta. Vivendo cada esquina dessa aventura, com carinho, alegrias e muita disposição.
Bel”
Joshua Slocum
Joshua Slocum (Nova Escócia, 20 de fevereiro de 1844 – Desaparecido no mar em data próxima a 14 de novembro de 1909) foi um marinheiro, escritor e aventureiro, cidadão dos Estados Unidos da América, embora nascido no Canadá. Escreveu livros sobre suas aventuras e se notabilizou por ser o primeiro a velejar em solitário ao redor do mundo.
(Wikipédia).
Acompanhe a viagem nos sites:
http://www.jgpimentel.com.br/texto_especiallist.asp?key_m=51
http://www.izabelpimentel.com/