Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Whisky de expedição realizada há 100 anos é achado na Antártida. Pense num whisky envelhecido!


Bebida estava em cabana utilizada pelo explorador Ernest Shackleton
Cinco caixotes de whisky escocês e dois de brandy foram recuperados por um grupo que restaura uma cabana na Antártida, usada há mais de 100 anos atrás pelo famoso explorador Ernest Shackleton.
O gelo quebrou algumas das garrafas que foram deixadas no local em 1909, mas os restauradores disseram nesta sexta-feira, 5, que têm certeza de que os caixotes contêm garrafas intactas "já que o líquido pôde ser ouvido quando os caixotes foram movidos".
O líder do grupo do New Zealand Antarctic Heritage Trust, Al Fastier, disse que eles acreditavam que não havia caixotes e ficaram surpresos em encontrar cinco deles.
O grupo Whyte & Mackay, atual proprietário da destilaria McKinlay and Co. quer recuperar amostras do whisky para testá-las e, assim, decidir se vai relançar a antiga bebida.
Fastier disse que os restauradores encontraram os caixotes sob o piso da cabana em 2006, mas eles estavam muito fundos no gelo para serem retirados.
Os neozelandeses concordaram em perfurar o gelo e tentar pegar algumas garrafas, embora as demais devam permanecer, de acordo com as diretrizes de conservação do Tratado Antártico.
"A descoberta inesperada dos caixotes de brandy, fabricados pela Mackinlay & Co e pela The Hunter Valley Distillery Limited Allandale são um bônus", disse Fastier.
Alguns caixotes de quebraram e formou-se gelo em seu interior.
Fastier disse em comunicado que fará a extração do conteúdo de forma delicada, mas a organização vai decidir o que fazer nas próximas semanas.
Richard Paterson, mestre da Whyte and Mackay, cuja empresa forneceu a bebida para Shackleton, descreveu a descoberta como "um presente dos céus para os amantes de whisky".
"Se os conteúdos puderem ser confirmados, extraídos com segurança e analisados, a mistura original poderá ser replicada. Tendo em vista que a receita original não existe mais, isso pode abrir a porta da história", disse ele em comunicado.
A expedição de Shackleton ficou sem suprimentos durante sua jornada para o polo Sul, a partir da costa antártica, realizada entre 1907 e 1909 e voltou quando estava a cerca de 160 quilômetros de seu objetivo.
A expedição deixou o local em 1909 quando o gelo de inverno se formava, deixando para trás vários materiais, incluindo o whisky e o brandy.
Fonte: Estadão; Foto: Divulgação/NZAHT;
Colaboração: Roberto Gruner

postado no www.popa.com.br