Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


sábado, 1 de janeiro de 2011

As previsões do índio "Guru"

.
Em novembro passado íamos de táxi para a rodoviária de Porto Alegre, de onde seguiríamos a Tapes para trazer de volta o veleiro Canibal. Comentávamos sobre a previsão do tempo, quando o motorista se atravessou na conversa. 
- Diz que quem entende mesmo do tempo é o tal do índio "Guru". De certo já conhecem ele...
Antigamente havia muitos manda-chuvas do tempo. Eram índios que auscultavam o vento e ditavam a meteorologia, senhoras de idade que observavam o telhado de zinco do galinheiro e faziam previsões certeiras, e várias outras figuras pitorescas, principalmente no interior. 
Nos anos 60, conheci o Seu Manoel Hortêncio, na Pinguela, litoral norte gaúcho. Filho de escravos e já setentão, encostava a orelha no chão de terra e cantava a previsão. Mas do tal índio meteorologista eu nunca tinha ouvido falar.
- Mas quem é o tal do índio, seu?...
- Pois e agora?... Eu não sei, respondeu o motorista, mas eles sempre anunciam a previsão desse índio no rádio, mais por causa da gurizada que quer fazer surf, e dizem que dá beeeeeem certinho!
Depois de alguns segundos tentando descobrir quem seria o tal índio, me caíram os butiás do bolso. 
- Por acaso não seria WindGuru? 
- Pois é esse mesmo que eu falei pro senhor...
Postado no Popa