Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


domingo, 23 de outubro de 2011

Dois visitantes ilustres chegaram a Natal nesse domingo

Os veleiros Moonwalker e Plankton, este talvez seja o que tenha inspirado o nome de tantos outros Planktons que andam por ai,chegaram no Iate Clube do Natal para um descanso e alguns reparos antes de irem para o Caribe.

      IMG_7697

O casal Karin e Russel e a pequena Brisa chegaram para trocar uma vela que rasgou. O Moonwalker partiu de Paihia, Bay of Islands (Nova Zelândia) em junho de 2006 com o ambicioso plano de dar a volta ao mundo. Depois de uma parada estratégica na África do Sul para terem uma filha, Brisa, em junho de 2010, seguiram para o Brasil, onde estão em partida para o Caribe.

 

 

O Plâncton é um Swan 40 pés (projeto altamente conceituado e referência até hoje), contruido na Finlândia que Geraldo importou em 1973.Todas as viagens do autor aconteceram a bordo desse barco e tiveram inicio em 1976, quando Geraldo percorreu toda costa brasileira e depois as Antilhas em 1978.

Materia sobre o Plankton pirateada do blog do Andante