Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


terça-feira, 11 de outubro de 2011

Valeu Guga!

Moro em Natal no RN, mas como todo gaúcho sou um apaixonado por Floripa e não quero que ela se transforme num Rio de Janeiro (no lado ruim do Rio, entendam bem,pois tambem adoro o Rio ),e resolvi me engajar na campanha SALVE FLORIPA, colocando o texto do Beltrão.

 

Hoje vou sair do objetivo deste blog para comentar a entrevista (vale a pena ler) que o tenistaGustavo "Guga" Kurten deu ao jornal local Diário Catarinense, na última terça-feira onde se queixou do caos que está Florianópolis, sua terra natal. Guga chegou a afirmar que do jeito que está indo a situação poderá até ir morar em outro lugar. Tem muito a ver comigo pois vim morar em Floripa há 40 anos por me apaixonar por esta cidade. Infelizmente hoje já tenho planejada minha saída da cidade, justamente por conta dos problemas abordados na entrevista.

Guga é um ídolo do esporte brasileiro, o maior atleta catarinense em todos os tempos, aqui chamado de "manézinho da ilha" por sempre, mesmo depois da fama, ter defendido Florianópolis, seu jeito simples de ser, seus costumes, seu time de futebol (o Avaí), seu ar provinciano e pacato. Acontece que esta Florianópolis não existe mais. A cidade explodiu nas duas últimas décadas, ficou famosa internacionalmente (muito graças ao próprio Guga), sofreu grande e rápida expansão populacional e não soube "administrar" isto. Hoje temos todas as mazelas das grandes metrópoles e, o que realmente deve estar preocupando o Guga, não se faz nada, não se planeja, não se tem nenhuma perspectiva que ao menos possa atenuar esta escalada do caos, como bem disse o Guga.

A entrevista provocou uma repercussão enorme na cidade. Todo mundo dando sua opinião, mídia, população, políticos, cidadãos comuns, redes sociais a mil (Guga criou a tag no twitter #SalveFloripa). De maneira geral a população, que sofre estes efeitos danosos apoiando, e os políticos e outras autoridades, como é de seu feitio, minimizando os fatos. Nosso alcaide, grande especialista em se escapar dos inúmeros processos que seus atos, digamos assim "pouco republicanos", provocam, diz que temos mais esgoto que outras capitais (50% da população segundo ele, só se ele contou as com esgoto 3x) e por aí. Um dos coronéis da PM (que já teve uma gravação sua divulgada ordenando a subordinados para não atender ocorrência numa rua próxima a um shopping por ser de "bacanas") justificando que em outras capitais é maior, citando dentre elas o Rio, como seu Rio pudesse ser comparação. É para a situação do Rio que estamos caminhando em passos céleres. Infelizmente o que aconteceu com o Rio não tem servido de exemplo a ser evitado.


Guga Kurten é um ídolo, assim como Ayrton Senna, Pelé e, agora, Torben Grael, porque além de grande atleta sempre se preocupou com seu país e seu povo, dá exemplo de carácter e cidadania. Diferentemente dos "ídolos de barro" do nosso futebol, fabricados as dezenas. E por isto suas palavras tem peso e provocaram tanta repercussão.
Parabéns, Guga!

Postado por LFBeltrao no blog do veleiro Tinguá