Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


sábado, 26 de novembro de 2011

Como economizar energia em seu barco

Quem economiza energia a bordo de um barco poupa, também, nervos e dinheiro. Veja aqui como fazer isso direito

 

 

A rigor, dependendo do tamanho, um barco pode ter quase tudo o que há em uma casa convencional — geladeira, televisão, ar-refrigerado e por aí afora. Mas, ao equipá-lo, nem todo mundo tem o cuidado de conferir se a capacidade das baterias é capaz de aguentar tudo isso, sem comprometer a principal função delas, que é garantir energia suficiente para fazer funcionar os motores. Se elas não tiverem capacidade suficiente, pode faltar energia para o pressurizador de água do chuveiro ou mesmo para o simples som a bordo. E, geralmente, só se descobre isso no meio dos passeios, o que é um risco e tanto.
Para uma lancha pequena, de até 19 pés, destinada a saídas curtas e próximas, uma única bateria basta. Mas, passando deste tamanho, os cuidados aumentam também. Neste caso, recomenda-se ter uma bateria apenas para os equipamentos e outra só para o motor. Melhor ainda é instalar um gerador — seja a gasolina, diesel, eólico ou solar —, mas isso depende do tamanho do barco, porque os menores não comportam tal conforto.
Por isso, quem não quiser ser pego de surpresa deve fazer as contas para saber se a energia das baterias é suficiente para todos os aparelhos a bordo. Isso vale principalmente quando se planeja instalar algum novo equipamento elétrico. As dicas a seguir têm o objetivo de ajudar nestes cálculos. E ensinar você a economizar o bem mais precioso a bordo de um barco a motor, depois do próprio combustível: a energia.

1- Troque as lâmpadas comuns por leds: eles consomem cerca de sete vezes menos energia e não esquentam o ambiente.
2- Prefira equipamentos de 12 V: aparelhos de 110 ou 220 V requerem inversor — e inversores também gastam energia.
3- Desligue luzes e equipamentos após o uso: Parece óbvio, mas os maus hábitos de desperdícios domésticos costumam se repetir nos barcos.
4- Não passe muito tempo ao rádio: qualquer transmissão consome bastante energia. Lembre-se disso!
5- Use o motor para aquecer a água: se fizer questão de água quente a bordo, use o calor gerado pelo próprio motor do barco. É fácil.
6- Prefira equipamentos específicos náuticos: Em geral, produtos feitos só para barcos consomem menos energia do que os domésticos.
7- Não economize na instalação elétrica: use cabos específicos para barcos, com bitolas corretas e estanhados, para evitar perda de condutividade.
8- Instale as baterias próximas ao motor: assim, não haverá perda de energia pela maior extensão da fiação.
9- Prefira caixas térmicas em vez de geladeiras: Geladeiras consomem — bastante! — energia. Já as caixas térmicas, só gelo.
10- Pense bem antes de ter mais equipamentos: banais micro-ondas e amplificadores de som consomem, também, muita bateria. E, pior, o som sempre fica ligado com o barco parado.
De quantas baterias seu barco precisa? - A capacidade de uma bateria é medida em Ah (ampèrehora), o que corresponde à corrente elétrica constante liberada por ela durante 20 horas. Isso significa que uma bateria de 100 Ah liberará 5 A, durante 20 horas. É aconselhável ter a bordo duas vezes meia a quantidade de energia necessária para o consumo total estimado do barco. Assim, se, por exemplo, o seu gasto diário for de 240 Ah, o banco de baterias do barco deve ter uns 600 Ah (240 x 2,5).
As lanchas de pequeno porte requerem descarga forte para o arranque do motor, mas, depois, o próprio funcionamento dele recarrega as baterias. Já nas lanchas maiores e sem gerador, o uso da bateria é muito mais intenso e, portanto, devem haver, além de baterias exclusivas para os motores, outra(s) apenas para os demais equipamentos a bordo. Quantas? Basta fazer as contas de consumo X baterias.

Por Regina Hatakeyama | Colaborou Daniel Borghetti
Da Náutica