Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


quarta-feira, 23 de julho de 2014

Um sopro de vida na vela de Natal

 

Com objetivos claros, de ver a classe Snipe, de veleiros monotipos, novamente fortalecida, entre as flotilhas Potiguares, o Iate Clube do Natal Atravez de seu diretor de vela, Ricardo Barbos, abriu um importante espaço para esse técnico e competitivo barco.
Sob o comando do velejador e instrutor de velas Alexandre, cinco veleiros estiveram desfilando suas velas sábado à tarde, no estuário do Potengi.

IMG-20140721-WA0003

]IMG-20140721-WA0004

Na esteira dos Snipes, já estão preparados também 04 laser ( RADIAL e STANDART), para reiniciar a
flotilha no mês que vem, com os velejadores Laseristas: Assis, Rodrigo, Diego, Elvis.

Esperamos que mais velejadores dessas classes que estão com barcos guardados ja faz muito tempo se empolguem e venham participar desse movimento de renascimento da vela no Iate.