Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

COMO CALCULAR A ALTURA DE UMA ESTRELA

Essa matéria é muito interessante. Então, eu aproveitei o conhecimento do assunto que tem meu amigo Elson Fernandes, o Capitão Mucuripe, e busquei no seu blog Velas do Mucuripe esse texto.

“O passo a passo para calcular a altura verdadeira de uma estrela segue a mesma sequência do que vimos no texto COMO CALCULAR A ALTURA DO SOL. Temos que primeiramente determinar o erro instrumental do sextante e aplicá-lo à altura instrumental obtida no momento da observação. Depois dessa primeira correção, teremos a altura observada, na qual aplicaremos a correção referente à depressão do horizonte (depressão aparente), que está relacionada com a altura do olho do observador, e assim teremos a altura aparente como resultado.

Obtida a altura aparente iremos consultar na tábua A2 constante no almanaque náutico qual o valor de correção a ser aplicado para chegarmos à altura verdadeira. No caso das estrelas, não há distinção entre a época do ano e nem quanto a limbo observado em que é feita a observação, como acontece com o Sol. A correção a ser aplicada leva em conta somente a refração atmosférica, pois não há correções para semidiâmetro e paralaxe para as estrelas por serem consideradas pontos no firmamento.

Meus amigos, ao invés de deixar um exemplo resolvido, gostaria de deixar o exercício abaixo para quem tiver interesse em resolvê-lo. Fico à disposição para dúvidas e comentários. Segue:

No dia 20/02/2014 um navegante observou a estrela POLLUX no crepúsculo civil vespertino obtendo a altura instrumental = 29º38,6'. Considerando erro instrumental = +3' e altura do olho = 4m, calcular a altura verdadeira.“