Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


sábado, 3 de setembro de 2011

Comandante de trawler brasileiro sofre infarto no Canadá

O comandante Dadi, do trawler brasileiro de 50 pés "Jade", que partiu de Porto Alegre em 2006, sofreu infarto do miocárdio em Peterborough, Ontario, Canadá, até onde foram navegaram. Sua esposa Denise relatou assim o ocorrido:
"Ficamos um longo período sem atualizar o diário de bordo... Na manhã do dia 09, pouco antes de partirmos, Dadi sentiu um desconforto bastante grande no peito. Chamamos um taxi e fomos rapidamente para a emergência do Hospital de Peterborough. Depois de vários exames realizados e um cateterismo veio a confirmação do diagnóstico: um infarto do miocárdio. Dadi foi transferido ao Centro Cardiológico de Toronto, o maior do Canadá e um dos melhores centros de referência mundial neste assunto. Foi tratado, ficando internado por longos 8 dias. Após a alta hospitalar, voltamos a Peterborough e ao JADE. Dadi foi orientado a fazer repouso por mais três semanas e instruído a uma série de exercícios de recuperação além da medicação que deve tomar. Voltamos a Toronto há 2 dias para nova reavaliação. Após a realização de novos exames o comandante foi liberado para retomar a viagem sem, entretanto, fazer muitos esforços físicos. Diante dessa intercorrência que atrasou nossa viagem em mais de um mês mudamos um pouquinho nossos planos: terminaremos o percurso do Trent Severn e deixaremos o Jadeinvernando numa marina em Penatenguishene. Essa cidade fica no final do canal e na entrada de Georgian Bay. Optamos por evitar correr riscos de saúde e de sacrificar o passeio por esta região. Retornaremos a navegar na próxima temporada de verão (maio do próximo ano), pelo que dizem ser o local mais bonito do Canadá e do Great Loop também. Neste interim, o comandante terá tempo suficiente para estar plenamente recuperado".
Fonte: Projeto Jade para o Grupo [POPA]