Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Flores dos ares para a velejadora

Gente fantástica


No último final de semana ocorreu uma cena inusitada no Rio Guaíba, nas proximidades de Porto Alegre.
A Comandante Christina Tina Silveiro recebeu flores em seu veleiro Libertad, fundeado próximo à Ilha das Pombas, em Itapuã.
O piloto Bolivar Bully Anoni pousou seu ultraleve anfíbio junto ao veleiro e fez a entrega de um buquê de rosas para a ex-comodoro do Clube Náutico Itapuã. Foi um gesto muito bonito do piloto para a velejadora que fez por merecer.
Em junho passado, Tina velejava no Rio Guaíba próximo à Ponta do Arado quando viu a aeronave de Bully fazer um pouso forçado. Presumindo que havia algo errado, Tina foi ao encontro do ultraleve danificado e prestou auxílio. Em seguida, rebocou o ultraleve por mais de 10 milhas náuticas até o Clube dos Jangadeiros, em Porto Alegre. Durante o reboque, Tina emprestou um cobertor e roupas ao piloto que batia queixo de tanto frio em pleno inverno gaúcho.
"Quando o nosso socorro tiver que vir pelos ares, tenho certeza que poderemos contar com ele", disse emocionada a inveterada velejadora que já prestou inúmeros resgates no Rio Guaíba.
Que gente fantástica!
Danilo Chagas Ribeiro, no Popa