Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Fim de semana de cruzeirista

Aconteceram no ultimo final de semana duas regatas, que fizeram parte das festividades da FeNat (Fernando de Noronha / Natal). Fomos convidados, minha esposa (Ro) e eu, a correr no barco da família três no mundo o Travessura. Nos divertimos muito, no sábado foi uma regata triangular em que chegamos em segundo lugar e no domingo numa regata de percurso o Travessura foi o primeiro a cruzar a linha o que deixou a Ro muito contente por ter subido ao podium em sua primeira participação.
Apos a regata de sábado fomos convidados pelo casal Avoante a pernoitar em um barco que eles estão tomando conta, para vivermos a experiência de morar a bordo. Gostamos tanto que ficamos três noites e saímos com planos de tentar uma temporada maior para ver a adaptação a essa vida de cruzeirista.
Nesses dias tiveram muita festa, muito churrasco e muitas informações trocadas entre os cruzeiristas, que aproveitam para trocar waypoints; dicas sobre equipamentos.
Muitos que estão subindo para o Caribe queriam informações sobre a entrada em Galinhos, um lugar muito lindo, que todos querem conhecer. Nelson do Avoante deu algumas informações e delas já nasceu uma idéia de seguirem em flotilha num mini cruzeiro ate lá dia 30/10 quando a maré estará favorável a entrada na barra.
No sábado a noite chegou um catamarã chamado Costa Rica de 82 pés que vinha do Caribe e vai para as ilhas Seychelles para fazer charter, segundo informações dos skipers do veleiro chamados Joel e Ronan ele possui 14 suítes com muito conforto.


Na noite de segunda feira aconteceu uma festa de casamento no clube e então o pessoal da vela resolveu, pra variar, fazer um churrasquinho no píer do Iate. 
Nesse churrasco foi dada uma folga para o churrasqueiro oficial, o Nelson, e o Zanellinha o Dorival e eu tomamos conta da churrasqueira stereo(uma em cada bordo) do Guga Buy.
Foi tão bom que acho que causamos ate um pouco de inveja no pessoal que estava na festa de casamento, pois a alegria e a confraternização do pier chamaram a atenção ate do cantor que nos ofereceu uma musica.
Durante o churrasco, Lucio do veleiro Temüjin ofereceu para degustação duas garrafas da  cachaça Santa Rosa, uma jovem e uma envelhecida em barril de carvalho por oito anos que são produzidas por sua família a mais de cem anos, que foram apreciadas e elogiadas  por todos. Também foram acrescentadas ao nosso churrasco duas garrafas de rum trazidas do caribe pelo Ronan e pelo Joel do catamarã francês Costa Rica, uma garrafa de uma cachaça de alambique de São Paulo trazida pelo Sergio do Travessura além das caipirinhas de caju e cajá feitas pela Lucia do Avoante e das cervejas do Eduardo e do Dorival dos veleiros Guga buy e  Luthier