Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Vieram na Fenat (Fernando de Noronha / Natal)

.



Chegaram a Natal no veleiro Temüjin, fazendo parte da Fenat, o casal Lucio e Natalia com os filhos Bianca, Nicole, Luc e o cão da família Ushi. A família é de Belo Horizonte e estão a três meses morando no barco. Junto com eles esta um amigo argentino Daniel que os acompanhara ate o Caribe. Também estão por aqui a caminho do Caribe os Veleiros Irun do casal Daniel e Christine,Guga buy do Zanella e do Eduardo(Zanellinha),o Flyer do Fabio e da Mirian, o Delirante da Simone e seus filhos Raquel e Rafael,o Travessura da familia tres no mundo Sergio, Jonas e Carol, o Luthier do Dorival e Catarina, o Bulimundu do comandante gaúcho de Cabo Verde(????) John Vieira, tendo como tripulantes Saul Capella e Ildefonso Junior comandante do veleiro Gosto D’agua que já participou de outras edições da Refeno.
John é um caboverdiano que se criou nos EUA e aprendeu a falar português, não o de Portugal que é o idioma de Cabo verde mas sim o do Brasil, com uma família de gaúchos de Santo Antonio da Patrulha, cidade a 90km de Porto Alegre, que eram seus amigos. O que fez com que se identificasse com o Rio Grande do Sul onde hoje ele mora e tem uma empresa.
Vamos manter contato para saber noticias das andanças desse povo pelo Caribe.