Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


domingo, 24 de outubro de 2010

Trocar o óleo e lubrificar o motor de popa são tarefas simples e necessárias

 

Trocar o óleo da rabeta de qualquer motor de popa (o que deve ser feito a cada 100 horas ou seis meses de uso) é algo simples. Não exige grande conhecimento, muito menos mecânico. Com um pouco de disposição, dá para fazer a operação completa em cerca de uma hora. Em compensação, a troca bem-feita pode evitar grandes problemas, porque o óleo da rabeta é o responsável por lubrificar as engrenagens da transmissão que fazem girar o hélice. Com o tempo, esse óleo é contaminado com partículas metálicas do próprio desgaste das peças e perde propriedades lubrificantes, o que pode danificar toda a estrutura da transmissão — daí a necessidade da troca. Veja como fazer.
O que você vai precisar
Tenha à mão: chave de fenda, muitos panos e uma bomba de pressurização. Caso não possua uma bomba, injete o óleo usando apenas uma mangueira. Esta, porém, tem de ficar acima do orifício superior, justamente para aproveitar a força da gravidade e empurrar o óleo para dentro da rabeta.
1. Coloque o motor bem de pé, para que o óleo desça até o fundo da rabeta e saia com mais facilidade. Depois, ponha uma bandeja para receber o óleo usado, perto do parafuso inferior de escoamento.
2. Com uma chave de fenda grande, retire o parafuso inferior. Gotas de óleo irão cair, mas não tudo o que há lá dentro, já que ainda falta retirar o parafuso superior do nível de óleo. Só depois de retirá-lo é que o óleo vazará completamente.
3. Quase sempre, o parafuso inferior é imantado, para reter as partículas metálicas do desgaste interno das peças. Limpe-o com um pano.
4. Tire o parafuso superior e espere alguns minutos para que o óleo escorra na bandeja. Geralmente, bem ao lado desse parafuso, há a inscrição “oil level”, que indica o nível de óleo.
5. Se o óleo estiver escuro demais, o conjunto de transmissão da rabeta pode estar se desgastando, talvez porque você não trocou o óleo no tempo certo. Já se estiver esbranquiçado, pode ser um sinal de entrada de água pelo retentor do cubo do hélice.
6. Com uma bomba de pressurização manual, injete o óleo pelo parafuso inferior. É a etapa mais delicada, pois só se sabe se está cheio quando o óleo escorre pelo orifício superior. Atenção: o tipo e a quantidade de óleo necessários estão especificados no manual.
7. Depois de cheio e já escorrendo óleo por cima, coloque o parafuso superior de volta e, só então, tire o bico injetor do orifício inferior.
8. Ao mesmo tempo que retirar o bico injetor e a bandeja, coloque o parafuso inferior. Depois, com um pano, limpe a borda dos dois parafusos.
Lubrificação
Lubrificar um motor de popa, assim como trocar o óleo, é algo simples, que não exige esforço, muito menos mecânico, apenas um pouco de disposição. E se a lubrificação for bem-feita (ou seja, a cada dois meses), aumentará consideravelmente a vida útil do motor e diminuirá o risco de travamentos do movimento do cavalete de sustentação e do cabo de aço do acelerador, o que, por si só, já justifica a mão-de-obra. Há dois tipos de graxa para a lubrificação:
a tradicional, de cor escura, usada na maioria das oficinas, e a branca, à prova d’água, menos freqüente. As duas, porém, oferecem resultados satisfatórios.
Com uma ou outra, o procedimento de lubrificação será sempre o mesmo. E o melhor: não leva mais que dez minutos. Veja como.
1Logo após o uso, com o motor fora d’água e seco, tire com um alicate de bico fino a cupilha que fica entre o eixo do hélice e a porca que o prende no eixo. Depois, com uma chave estria, retire a porca que prende o hélice ao eixo.
2 Após retirar o hélice e antes de lubrificar o eixo, aproveite para checar se não há vazamentos de óleo no eixo do hélice. Se houver, contate um especialista no assunto. Preencha com graxa toda a superfície do eixo do hélice, principalmente entre as estrias, e espalhe com um pincel de pêlos grossos. Na seqüência, coloque o hélice de volta.
3 No passo seguinte, retire a caixa que protege o motor, para lubrificar o conjunto de maçanetas de abertura, já que elas costumam emperrar e fazer
barulho quando não estão lubrificadas. Por último, com uma injetora, engraxe o cavalete de sustentação, que permite que o motor levante ou abaixe.

Por Otto Aquino
Da Náutica 236

Postado na Náutica