Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


domingo, 7 de agosto de 2011

Navio da Armada Invencível descoberto ao largo da Irlanda

A operação envolveu 130 navios artilhados e 19 295 soldados

Arqueólogos marinhos dizem ter descoberto destroços de um navio espanhol da Armada Invencível, ao largo da costa do condado de Donegal, na Irlanda. A embarcação naufragou no século XVI no âmbito da tentativa - frustrada - de invasão da Inglaterra coordenada pelo rei Filipe II.
A expedição com destino a Inglaterra teve início em 1588, com participação portuguesa, numa altura em que Portugal se encontrava sob domínio filipino. A missão da célebre Armada Invencível era invadir a Inglaterra através do Canal da Mancha.
Os fortes temporais e a resposta de barcos incendiários ingleses à chamada Armada Invencível estancaram o avanço espanhol, com apenas 53 barcos dos 130 que se fizeram ao mar – inicialmente com dezenas de milhar de soldados, marinheiros e remadores a bordo - a regressarem a Espanha. Centenas de tripulantes morreram no âmbito da operação e várias embarcações de proveniência portuguesa naufragaram.
Um dos navios afundados foi agora encontrado em águas “relativamente pouco profundas” da zona de Rutland Sound, anunciou esta sexta-feira o governo irlandês.

O ministro da Cultura e do Património da Irlanda, Jimmy Deenihan, já fez saber que o Estado concederá um fundo para os arqueólogos explorarem a zona.
O político acredita que estas investidas submarinas poderão fornecer “muitas informações sobre a vida a bordo e sobre a realidade dos recursos militares e navais disponíveis para a campanha da Armada”, disse hoje o ministro à Radiotelevisão Irlandesa (RTE).
Jimmy Deenihan descreve esta descoberta - não inédita - como significativa “não só para a Irlanda, mas também para as comunidades arqueológicas, históricas e marítimas internacionais”.
Fonte: Público, Portugal;
Foto: Defeat of the Spanish Armada, de Philipp Jakob Loutherbourg o Jovem (National Maritime Museum, Greenwich Hospital Collection)

Postado no Popa