Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Pirataria força organizadores da Volvo Ocean Race a redefinirem rotas




Foram 1.181 sequestros no mar em 2010
A falta de segurança causada pela pirataria no Oceano Índico obrigou os organizadores da Volvo Ocean Race 2011-12 a redefinirem as rotas da segunda e terceira pernas do desafio de velejar 39 mil milhas náuticas (70.200 km) ao redor do mundo.
Na segunda etapa, da Cidade do Cabo (África) para Abu Dhabi (Emirados Árabes), e também na terceira, de Abu Dhabi a Sanya (China), os veleiros teriam que navegar por um corredor do Leste da África, no Oceano Índico. No entanto, após consultar especialistas em segurança marítima, os organizadores concluíram que manter o percurso original colocaria as tripulações em alto risco.
Assim, os barcos vão da Cidade do Cabo até um “porto seguro” não revelado e serão transportados mais perto de Abu Dhabi, a partir de onde completarão a perna. O processo será o contrário para a terceira perna, antes da corrida seguir para Sanya. As equipes terão de cumprir dez etapas ao todo. A largada da primeira será dia 29 de outubro em Alicante, Espanha, e a previsão de término é para julho de 2012 em Galway, na Irlanda.
As tripulações permanecem em Abu Dhabi entre 30 de dezembro e 14 de janeiro, em uma vila construída especialmente para receber os velejadores e hospedá-los na virada do Ano Novo, em uma festa que deve receber mais de 100 mil visitantes.
O chefe executivo da Volvo Ocean Race, Knut Frostad, explica:
"Esta foi uma decisão incrivelmente difícil". Temos consultado os principais especialistas da inteligência naval e comercial, e o conselho deles não poderia ter sido mais claro: ‘Não arriscar’. Com a solução que encontramos, nossos barcos ainda vão correr em Abu Dhabi e competir na in-port race lá. Abu Dhabi é uma parte muito importante de nossos planos, sendo um verdadeiro destaque fazer uma parada pela primeira vez no Oriente Médio.”
A pirataria é um negócio bem organizado e altamente lucrativo e que tem se expandido em uma vasta área ao largo da costa da Somália. Em 2010 um recorde de 1.181 marinheiros foram sequestrados por piratas, de acordo com números fornecidos pela agência de intelegência marítima Dryad. Estima-se que US$ 150 milhões tenham sido pagos aos piratas nos resgates de navios, cargas e tripulantes no ano passado.
Leia mais em www.volvooceanrace.com
Informações da assessoria do evento postadas na Náutica