Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


quarta-feira, 29 de junho de 2011

O uso do SPOT será obrigatório na XXIII REFENO

Em uma decisão conjunta entre a Marinha do Brasil e a Comissão Organizadora da XXIII REFENO, ficou decidido que os barcos que não tenham todos os equipamentos exigidos para navegação oceânica, obrigatoriamente deverão portar um SPOT com o sistema de rastreamento ligado.

“É fácil entender que uma das grandes dificuldades para um resgate é a exata localização do barco a ser socorrido na grande área onde se dá a passagem da regata entre Recife e Fernando de Noronha. Com o registro do rumo e a informação exata do local onde se encontra a embarcação a ser socorrida, o tempo entre o pedido de socorro e a chegada ao local pode ser reduzido, e esta diferença pode ser extremamente importante, quando se trata de ter alguém acidentado.

Repetindo a parceria iniciada no ano passado, a REFENO e a Globalstar, fornecedora dos equipamentos, estão disponibilizando aos comandantes inscritos na regata a aquisição do SPOT por preço reduzido. No momento da inscrição do Comandante e do barco, se a embarcação não possuir todos os equipamentos exigidos na navegação oceânica, e se ainda não possui um SPOT, o comandante terá o acréscimo de R$260,00 referente à aquisição do equipamento. Posteriormente, e antes da inspeção naval no Cabanga, o SPOT deverá ser ativado através do pagamento da licença anual.

Um ponto importante e que está gerando dúvidas é sobre a classificação da embarcação, pois alguns comandantes não conhecem totalmente as regras da Marinha do Brasil. Para esclarecer estas dúvidas, recomendamos a leitura  da NORMAN 3 no site da Marinha do Brasil www.dpc.mar.mil.br/normam/N_03/N03Cap4.pdf nas páginas 4-17 a 4-19. Se o seu barco não atende a todos os itens será obrigatória a aquisição e posteriormente a ativação de um SPOT.

Comissão Organizadora.”