Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


sábado, 14 de agosto de 2010

Antes de qualquer passeio de barco, confira as dicas da Náutica sobre o tempo




O dia estava lindo, com condições perfeitas de navegação. Porém, bem no meio do passeio o tempo mudou e te pegou de surpresa. Esta situação costuma ser mais comum do que se imagina. E para evitar este tipo de susto no mar, a Náutica te dá 12 dicas sobre o tempo. Confira abaixo.

Mesmo que não haja uma única nuvem no céu, nunca — jamais! —, saia para navegar sem consultar a previsão do tempo. E saiba que barcos com menos de 18 pés devem evitar quaisquer ventos acima de 15 nós, porque eles já são suficientes para formar ondas.

Em geral, venta sempre mais à tarde do que de manhã. Então, a menos que seu barco seja um veleiro e você esteja procurando justamente bons ventos, programe seus passeios para começarem cedo. Assim, se o tempo fechar, dá para voltar, e sem perder todo o dia.

O tempo também pode ficar pior se: a temperatura subir ou cair muito para a época do ano; se o vento soprar forte ao amanhecer ou se o vento rondar de norte para sul, no sentido anti-horário.

Não deixe para conferir a previsão do tempo em cima da hora. Comece a ficar atento pelo menos dois dias antes do passeio, para não ser obrigado a mudar seus planos quando já estiverem todos a bordo.

Tempestades de verão podem ser fortíssimas, mas costumam durar menos de 30 minutos. Então, o melhor é parar, esperar o vento abrandar, a visibilidade voltar e só depois retornar à marina.

Geralmente, as frentes agitam o mar antes de o tempo mudar. Portanto, se as ondas aumentarem, é bem provável que uma frente esteja a caminho.

Uma boa forma de ficar por dentro das previsões é acessar esses sites:www.cptec.inpe.br/prevnum (do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, que fornece previsão para as principais cidades brasileiras, para seis dias);www.buoyweather.com (dá a altura das ondas e a velocidade do vento em todos os mares do planeta); www.windguru.cz com (especializado em informações para windsurfistas, mas que é muito consultado pelos navegadores brasileiros, pois é fácil de entender); www.surfguru.com.br (dá informações sobre as ondas, as marés e a previsão do tempo para os principais pontos da costa brasileira).

Aprenda a consultar o barômetro e fique de olho na pressão atmosférica e na temperatura. Se ambas baixarem demais, é bem possível que venha uma frente fria, acompanhada de tempo ruim e ventos fortes. Melhor não sair da marina ou ficar por perto.

Com tempo ruim, quando estiver perto da costa, evite entrar em barras traiçoeiras, como a de Itanhaém, no litoral de São Paulo, e portos difíceis de entrar, como o de Paranaguá, no Paraná. Nesses casos, é melhor ficar no mar e esperar tudo se acalmar.

Na Região Sudeste, as frentes frias costumam ser mais fortes no outono. Céu com nuvens tipo “carneirinhos”, vento mais quente à noite e lua com auréola são sinais da sua aproximação. Fique esperto.

Se, porém, o tempo ficar muito ruim, o mais seguro é ficar longe das margens, para não correr o risco de bater em nada.

Sob mau tempo, mantenha o motor do barco sempre ligado e engatado, mesmo que seja um veleiro! Com o motor sob controle, o controle do barco também aumenta.
Por Regina Hatakeyama
Da Náutica