Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Velejador Marcelo Gusmão e o Projeto Noronha 2010 chegam à Bahia


Divulgação
Marcelo Gusmão e seu veleiroMoleque Anasol já estão na Bahia e já preparam as ações sociais entre crianças da região e o barco para a Regata Aratu Maragojipe que larga neste sábado dia 28/08. A dupla cumpriu o percurso de 900 milhas náuticas (cerca de 1500 quilômetros) entre Ilhabela, no litoral Norte paulista, e Salvador em pouco mais de 04 dias e 12 horas aproveitando os ventos da mesma frente fria que passou por Santa Catarina semana passada.



“Saímos de Ilhabela com o cronograma atrasado por causa do conserto da targa que tomou um tempo que não estava programado, se não pegássemos aquela frente direto a Salvador poderíamos não chegar a tempo para a regata”, explica Gusmão referindo-se a estrutura metálica, localizada na traseira do barco que sustenta as antenas do rádio e do radar, que foi arrancada quando o veleiro Indigo Too, sem preferência de passagem, chocou-se contra o Moleque Anasol numa das regatas da Semana de Vela de Ilhabela.

Em Salvador, Gusmão irá disputar a Regata Aratú Maragojipe, prova com cerca de 40 milhas náuticas de percurso que, em 2010, chega a sua 41ª edição com a participação de mais de 350 veleiros inscritos. “É a maior regata do Brasil em número de barcos. É uma festa onde participam veleiros de todos os tipos, desde saveiros de madeira tripulados por pescadores da região aos modernos catamarãs”, conta o catarinense que fará sua segunda participação na prova.

No mesmo dia da regata, após a chegada, Gusmão cumpre a segunda meta do Projeto Noronha 2010: as ações sociais entre crianças carentes da região por onde passa. E desta vez serão 400 kits de material escolar que serão doados aos alunos entre 8 e 12 anos de idade de escolas públicas do município de Maragojipe.

O próximo compromisso do Projeto Noronha 2010 será em Pernambuco, para onde Gusmão levará o veleiro Moleque Anasol para a disputa da Regata Recife Fernando de Noronha com largada marcada para o dia 25 de setembro.

Marcelo Gusmão tem patrocínio de Anasol Protetor Solar, Molin, Equinautic, Velas Olimpic, Plastkolor, Opens Sport, Apoio da Nautispecial, Casa das Cores, Mormaii, Cordoaria São Leopoldo, Iate Clube Santa Catarina, Esportes do Mar, e Gráfica Continente.
Por Cesar Eugênio Dias
Da assessoria de imprensa na Nautica