Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


domingo, 8 de agosto de 2010

Velejador inglês da classe Moth adota vela rígida também para os monotipos

Adam May/Reprodução
Adam May juntou uma vela rígida ao casco do veloz Moth




O britânico Adam May, um velejador da classe Moth, acaba de colocar em prática umavela inusitada para este tipo de barco. Apaixonado pelos catamarãs da Classe C, ele resolveu juntar a vela rígida deles com o casco do radical Moth. O resultado é um barquinho de design super moderno e curioso.

May ainda não sabe se a vela é resistente a capotagens, e como será o desempenho do barco, pois velejou apenas 30 minutos, mas uma coisa é certa: ele deixou suíços, americanos e australianos para trás ao se tornar o primeiro a juntar este tipo de vela ao casco do Moth. Durante os testes May colocou o barco ao lado de um 49er, barco com mesmo tipo de casco, porém maior, e na maior parte do tempo conseguiu ser mais rápido. Serão necessários mais testes para saber se o resultado será mesmo positivo.

Para ler a história da criação da vela e ver mais fotos, acesse
foilborne.blogspot.com.


Por Mariana Peccicacco
Da redação da
www.nautica.com.br