Viajar de veleiro



A maravilha de se viajar de veleiro é que basta que se decida ir para algum lugar, tudo que se tem que fazer é levantar a âncora,içar velas e ir embora.Essa sensação de liberdade é fabulosa,é quase como ter asas e voar livremente,basta bate-las.

Helio Setti Jr.

Tem que ir, ver e sentir!


"...Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu, para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor, e o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o seu próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver..."


Amir Klink


segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Barco operado por alunos do Projeto Grael vai recolher lixo da baía de Guanabara

Batizada de Águas Limpas, embarcação foi importada da França e será operada por alunos do Projeto Grael



O barco foi importado da França e será operado pelos alunos do Projeto Grael
Com o principal objetivo de recolher o lixo flutuante da Baía de Guanabara, a concessionária Águas de Niterói, em parceria com o Ministério Público do Rio de Janeiro, lança, nesta terça (10), o Projeto Águas Limpas, com o apoio do Projeto Grael e da Companhia de Limpeza de Niterói (CLIN). A cerimônia de inauguração será realizada na sede do Projeto Grael, em Jurujuba - Niterói, nesta terça-feira (10), às 15h. O Projeto Grael fica na Rua Carlos Ermelindo Marins 494.

A limpeza, o estudo e o monitoramento do lixo flutuante na Baía de Guanabara serão realizados através da operacionalização de uma embarcação automatizada (Cataglop Light), adquirida pela concessionária Águas de Niterói com apoio do Ministério Público, através da Promotoria de Defesa do Consumidor e da Promotoria do Meio Ambiente, ambas do Núcleo Niterói. A verba destinada a este projeto, pela concessionária de água e esgoto do município, provém de Termo de Ajustamento de Conduta elaborado no Inquérito Civil 19/02 da PJTCDC – Niterói, referente à parcela não reclamada da devolução do ICMS aos consumidores.

A embarcação, feita de alumínio, possui uma caçamba basculante que realiza um peneiramento das camadas superficiais da baía. Os resíduos sólidos são armazenados em um contêiner com capacidade para 500 kg. Já o óleo flutuante são depositados em uma caixa separadora, com capacidade para mil litros. Paralelo ao processo de remoção do lixo ocorrerá o monitoramento ambiental da região, promovido pelo Projeto Grael, para avaliar os resultados da operação.



Com a realização deste projeto, os envolvidos buscam a revitalização das praias da região, que são evitadas pelos banhistas mesmo estando em condições adequadas para banho. “As praias da Baía de Guanabara são um problema para nós. As amostras de água coletadas semanalmente pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea) indicam, na maioria das vezes, que o mar está limpo, mas o lixo afasta os banhistas. Até tartarugas marinhas, que só nadam em águas limpas, aparecem na orla, mas as pessoas não se sentem seguras para mergulhar”, declara o diretor da Águas de Niterói, Carlos Henrique da Cruz Lima.

Inicialmente, a embarcação vai operar entre a Ilha de Boa Viagem e o Morro do Morcego, englobando as enseadas de Jurujuba, São Francisco e Icaraí. Mas já existem planos para a sua utilização nas lagoas de Itaipu e Piratininga, na Região Oceânica.

Serviço:
Lançamento Projeto Águas Limpas
Data: terça-feira, 10/08/2010
Hora: 15h
Local: Projeto Grael – Rua Carlos Ermelindo Marins 494 – Jurujuba

Sobre o Projeto Grael
O Projeto Grael foi criado há doze anos por uma iniciativa dos irmãos e velejadores Torben e Lars Grael e Marcelo Ferreira. Atualmente, o irmão mais velho, Axel Grael, ex-presidente da Feema e também velejador, é o presidente do Instituto. Desde a sua fundação, o Projeto Grael, também conhecido como Instituto Rumo Náutico, vem desenvolvendo uma metodologia própria de esporte e educação, que serviu como base para outros programas semelhantes, como o Navega São Paulo, do Governo do Estado de São Paulo, e o Projeto Navegar, iniciativa federal desenvolvida em diversas cidades brasileiras. Além disso, as cidades de Vitória (ES) e Maricá (RJ) já acolheram núcleos do Projeto Grael. Em março deste ano, o Projeto abriu sua primeira unidade descentralizada no município de Três Marias (MG).

A iniciativa já conquistou reconhecimento internacional com prêmios e chancelas recebidas de instituições, como a Federação Internacional de Vela (Isaf), a Unesco, dentre outras. Mais de 8 mil jovens que passaram pelo Projeto Grael desenvolveram, além da prática da vela e de conhecimento profissionalizante para o mercado náutico, o conceito de cidadania.


Por Mariane Thamsten
Da Velassessoria no www.nautica.com.br